13:07Fênix

de Ticiana Vasconcelos Silva

Carrego elefantes em meus dedos
Minhas asas são feitas de mágoas sublimadas
Minhas cinzas são queimadas no pintar

Mergulho fundo em meu mar
E me alimento das linhas que emergem desse papel
Que sou eu quando não sei amar

Noites de insônia
Dores de alma
Fujo da calma para me acalmar

Renasço e refaço
Este ninho de linhas
Onde me deito e espero a luz do luar

O amor vem
E eu nem mais o quero
Apenas me esmero e volto a voar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>