11:04PARA NÃO ESQUECER

A demolição do Hospital Bom Retiro


Fotos e texto de Joel Rocha

Inevitável passar pela Nilo Peçanha e não sentir um estranho vazio…

Aconteceu no sábado, 07h15. A cordo com um ruído diferente dos habituais – barulho de altas paredes caindo no chão e de ronco de potentes motores. Acordo a Mauren dizendo a ela que estão derrubando o Hospital Bom Retiro. Ela,  assustada, não quer acreditar. Ando quase uma quadra para chegar lá, ainda meio sonolento – e com câmera na mão. O que vi foi como se alguém me acordasse com balde de água fria na cara. Cena apocalíptica. O que estava incerto, agora é fato: estão demolindo tudo. Começaram bem cedo, num sábado, para não chamar a atenção, fazendo parecer uma ação estratégica. Coisa de gente que tem medo. Nos dias de hoje, uma banalidade, a imagem de uma máquina derrubando um prédio velho, mas…  e quando se trata de um prédio de importância histórica, preservado, de um espaço que era reservado à cura, um lugar como poucos, de pessoas do bem, fazendo o bem, o que pensar ? Cadê a prefeitura (sic)? Cadê o IPPUC (sic)? E os cidadãos curitibanos? E as pessoas inteligentes desta cidade, onde estão?

8 ideias sobre “PARA NÃO ESQUECER

  1. engenheiro curitibano

    Zé Beto, sou leitor assíduo de teu blog e te parabenizo pelas inúmeras vezes em que você tem postado comentários, opiniões alertando sobre a triste, deplorável decadência da nossa Curitiba. Estamos perdendo a nossa vizinhança, a nossa memória, a nossa identidade em todos os espaços urbanos. Comentem-se crimes hediondos, que causam danos irreparáveis a todos nós, cidadãos! O que me choca ainda mais é que os responsáveis por esses crimes de “lesa cidade” fiquem impunes! Curitiba precisa, nós cidadãos comprometidos precisamos, com urgência, reatar um projeto que nos devolva a nossa cidade!

  2. carlos

    Grandes coco. Prédio velho é para cair mesmo. O Grêmio vai demolir o Olímpico e os gaúchos não choram. Aqui um prédio sem importância vira celeuma. O povinho atrasado.

  3. GILSON

    Sem contar o patrimônio histórico, devemos pensar nas famílias que não tem condição de internar seus entes queridos em clinicas particulares, sobra pra estes somente os CAPS que não nego a importancia porém funciona de segunda a sexta e ai como ficam no fim de semana????? Senhores pensadores das políticas publicas de saúde pensem no drama destas famílias, que convivem com esta terrivel doença e mais os que sofrem de alcolismo e drogadição que precisam sim de um isolamento, de uma abstinencia total, pra ai sim o CAPS dar o pós atendimento….Só quem tem problema próximo sabe como é, pior é saber que hospitais como o SAN JULIAN em Piraquara que tem leitos sobrando não podem acolher sem antes uma imensa burocracia que muitas vezes não da tempo e a vitima que são os dependentes e doentes pagam com a vida pela falta de entendimento dos pensadores……

  4. Marcelo

    Por isso o Tusquinha me ligou hj. Anunciou que mudaria para um apartamento, na Nilo Peçanha, perto do Gaúcho. Tá explicado!!!.

  5. Jibóia, o profeta

    A construtora está terminando um hospital para abrigar os doentes, a tansação passou de 100 milhões, vai o bosque a a patrimônio histório. A FEP acredita que dia 21 agora ocorrerá o fim do mundo de maneira que com ou sem Hospital Bom Retirocom ou sem bosque tudo vai pelos ares ou para o inferno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>