16:44Amor de mãe

por Luiz Solda

Os fuzileiros finalmente desembarcam na pequena ilha. Saem correndo atrás decubanos e soviéticos. Tarcísio Meira deixa crescer a barba e as orelhas e parte embusca da fonte da juventude. Glória Menezes vai atrás. Onde o Tarcísio Meira vai,a Glória Menezes vai atrás.
Uma barraquinha de caldo de cana é bombardeada pelos fuzileiros. Falta garapana ilha. A desordem se alastra. Glória Meneses vai atrás dos cubanos. Jornalistasdesorientados tentam explicar a invasão de Tarcísios Meiras. A população nãoagüenta o vai-e-vem de Glória Menezes. O cruzado despenca. Crise na economia.As estradas são bloqueadas. Ninguém sai da ilha.
É sábado. Todos vão à praia. Tarcísio Meira monta uma barraquinha de limonada.Glória Menezes espreme os limões.

*”Novelha” publicada em 1980

2 ideias sobre “Amor de mãe

  1. Coronel Perseu Jacutingassa

    Se ele fala de “cruzado” como pode ser de 1980 ?
    Só se o cruzado em questão não é o dinheiro…

  2. solda

    Coronel Perseu:

    Fiz algumas adaptações para textos escritos antes de 1980, ano em que foram publicados. Esse passou batido. Perdão, leitores.
    O Perseu percebe, logo, percebeu. Perceberam?
    Ou querem que eu desenhe?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>