13:59A Copel é nossa?

Um curioso que não perdeu a memória e que acompanha a briga entre petistas e tucanos por conta da redução das tarifas de energia sugere a retomada do movimento paranista em defesa da estatal elétrica, que fez muito sucesso no passado e envolveu todos os matizes de esquerda do Estado. Só que agora, com uma adaptação: “A Copel é Nossa, presidente Dilma”. Ou será que todos que gritavam o bordão há uma década querem que hoje a empresa se dane?

6 ideias sobre “A Copel é nossa?

  1. Osni

    Com o Richa, as estatais deixam de ser nossas. O que impera é o interesse privado e da turma.

    Ó Nobre blogueiro puxa saco.

  2. Palhares

    Jornalistas, blogueiros e, os fidalgos da mídia paranaenses são espectadores, eunucos morais e éticos que não intercedem diante do perigo ou da maldade, mas que torcem secretamente para que o pior aconteça. Esquecem de avisar ao povo e aos empresários que o preço da energia vai baixar, assim como o governo do PT abaixou os juros nominais da economia beneficiando a todos. Esses “pias” mimados de prédio que estão nos governos de São Paulo/Minas e Paraná, estão fazendo picuinhas com o governo federal no caso, eles são os donos da bola, estão emburrados, pois o jogadores querem coletivizar a bola, então eles não querem coletivizar a bola, pois essa bola têm um nome; CAIXA DOIS.

  3. Carlos Ernandes

    O Palhares deveria se informar com quem entende. Está absolutamente equivocado. Medida de palanque de Dima, sem base consistente de analise, imposta. Custará mais caro para as futuras gerações.
    Apenas com o anuncio equivocado as ações da Copel caíram,perderam valor. É por isto que vamos afugentar cada vez mais investidores.
    Ao contrario do que falou Gleise, porque neófita no assunto, quem prejudica o Paraná é Dilma!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>