19:28Sindicato dos Engenheiros do Paraná repudia declaração de delegado da PF sobre a Sanepar

O Sindicato dos Engenheiros do Paraná enviou a seguinte mensagem, em forma de comentário, a respeito da declaração do delegado Rubens Lopes da Silva sobre a Sanepar:

O Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge-PR) que representa mais de 500 trabalhadores da Sanepar, entre engenheiros, geógrafos e geólogos, repudia veementemente as declarações do Delegado da Polícia Federal, Rubens Lopes da Silva, que afirmou ontem (21) a diversos veículos de comunicação que a Sanepar é uma “empresa de fachada”.

Empresa de fachada é uma expressão ligada a atividades desonestas, controladas por organizações criminosas, com o objetivo único de lavar dinheiro sujo. Não é o caso da Companhia de Saneamento do Paraná, que atua há mais de 50 anos e abastece com água tratada de primeira qualidade 344 municípios e 10 milhões de paranaenses. Também não é “de fachada” uma empresa que investe constantemente na implantação e na ampliação da rede de coleta e tratamento de esgoto em todos os municípios do Paraná.

Independentemente dos motivos que desencadearam a ação da “Operação Iguaçu – Água Grande”, seus mais de 7 mil trabalhadores não podem ser desvalorizados dessa maneira torpe e generalizada. Por isso, o Senge-PR se solidariza com todos os funcionários da Sanepar e ressalta sua confiança nos trabalhadores que contribuem todos os dias do ano para levar água tratada e saúde a todos os paranaenses.

12 ideias sobre “Sindicato dos Engenheiros do Paraná repudia declaração de delegado da PF sobre a Sanepar

  1. Larissa Mattioli

    Esse Manifesto Deve ser dirigido também a Senhora Gleisi que vem aqui no Paraná avacalhar com a Nossa Sanepar ao defender essa ação política eleitoral do PT/PF.
    Vergonha de o Paraná ter uma senadora e ministra contra o Paraná com o propósito de ganhar a eleição em Curitiba.

  2. Jeremias, o bom

    Meus amigos do Senge estão embarcando em canoa furada.
    Embora a sociedade brasileira exija o fim da impunidade e comemore as recentes punições estabelecidas pelo STF, o Senge vem defender a impunidade.

    Se a Sanepar polui o Rio Iguaçu e se cobra por serviços não executados, tem que ser investigada sim!

    Entrar na onda de que estamos em anos político e, em função disso, nada deve ser feito, é argumento muito rastaquera: então a Policia Federal não pode trabalhar nos anos pares, só nos impares?

    Ah, esses sindicatos!

  3. BENTO

    Sou engenheiro, me desculpe algumas pessoas do sindicato que estão querendo faturar simpatia com o governador, vamos ao que interessa:
    - porque voces não questinam Guinhone como presidente….quebrou as empresas da familia…ele a mulher e os filhos estão todos em cargos do governo porque senão não sobrevivem.
    - Ezequias como diretor de relalcinomento de mercado, o que o Ezequias sabe de mercado..nem curso superior tem..ha voces não sabiam né.
    -Me desculpem mas

  4. Pingback: Sindicato dos Engenheiros do Paraná repudia declaração de delegado da PF sobre a Sanepar | Fábio Campana

  5. zangado

    A grande verdade – data venia – é que os servidores públicos nunca nas últimas quatro décadas tiveram qualquer voz ativa nas entidades governamentais.

    O Estado e suas entidades tornou-se apropriação dos ocupantes de cargos e mandtatos públicos em benefício de seus nepotes e apaniguados.

    Em maior ou menos grau esses entes cumpriram suas finalidades, mas grandes caixas pretas neles se encontram.

    Todos os órgãos do Estado se acham deficitários e tem graves desvios e descumprimento de suas atribuições.

    Isso acontece porque tornaram-se trampolins do poder político personalíssimo – partidos e facções – que vem utilizando as entidades para carreirismo político.

    O compadrio escabroso entre os poderes públicos sustenta esse esquema, protegem-se e beneficiam-se reciprocamente, portanto somente uma outra esfera, como a federal pode abrir as caixas pretas ou colocar ordem nos desvios de poder.

    Foi assim com a RTVE, a “escolinha insana” de Requião enquadrada pelo Parqueet federal porque o estadual só fazia visitas de cortesia à tal escolinha.

    O pedágio, é outro exemplo. Onde está o tal “choque de gestão” do governador de plantão prometido em campanha ?

    O pedágio continua, aumenta cada ano, o passivo judicial de cerca de 140 ações também está pendente e nada se resolveu quanto à tarifa e as obras. Tudo firula de campanha política. Mas os prejuízos sociais e ao erário estão aí como estavam.

    Portanto, gente boa, enquanto tivermos eleições A CADA DOIS ANOS e possibilidade de REELEIÇÃO esqueçam governança pública. Não há tempo. Só existe como objetivo a sucesiva maratona em busca de cargos e mandatos públicos para dar continuidade aos grupelhos de ocasião.

    Não há qualquer expectativa de responsabilização de gestores públicos incompetentes e ímprobos porque depois das eleições pulam para outros galhos e todo mundo esquece.

    A sociedade insossa e politicamente analfabeta nada cobra; não aciona os mecanismos legais à siua disposição para enquadrar os administradores relapsos e prestidigitadores que prometem não cumprem e ainda deixam prejuízo ao erário.

    Então, não só os servidores permanentes como a sociedade deve esperar que esse procedimento em face da Sanepar resulte em apuração e responsabilização daqueles que devendo atender o interesse público, por desídia, incompetência ou prevaricação, fizeram o contrário.

    O resto é discurso inconsequente.

  6. De olho

    Vergonha é ter uma empresa que lesa os consumidores.
    Vergonha é ter que pagar por serviço não prestado. Vergonha é ter que pagar taxa de esgoto sobre 80% do consumido em água (faturamento mínimo 10m cubicos), quando se destina no máximo 25% em esgoto.
    Vergonha é ter o IAP omisso a décadas.
    Vergonha é ter o Legislativo Paranaense legitimando a roubalheira.
    Vergonha é ter o Ministério Público omisso a décadas. Vergonha é ter um governo nomeando inoperantes na Saneporca.
    Vergonha é ouvir as desculpas esfarrapadas do Executivo que os nomeia.
    Vergonha é ver a bandalheira dos funcionários, que sabem dos problemas e posam de “otoridades”.
    Vergonha é ter a empresa ativa…
    Saneporca… um serviço de bosta!

  7. Domingos Budel

    Me desculpem vocês que estão criticando a posicão do SENGE, o que esta sendo contestado é a forma como as acões foram conduzidas. Todos os dados, relatörios etc, que foram objetos da operacão estão a disposicão de todos no Site da empresa ou então poderiam ser obtidos por solicitacão de uma autoridade competente para tal. O Senge esta contestando as declaracões da Policia Federal e defendendo a empresa e seus empregados, que independente de qual partido esteja no poder, tem a responsabilidade de manter os servicos 24 horas por dia em suas casas. E por fim, as irregularidades de servicos dessa natureza são corrigdas com multas e Termos de Ajuste de Conduta, instrumentos a disposicão do IBAMA, sem a necessidade de operacões truculentas e armas.

  8. Índio Véio dos Matos

    A PF e o IBAMA tinham que fazer o que o IAP e o MP-PR não estão fazendo: coibir, apurar e punir com o rigor da lei os responsáveis pelo crime ambiental que está acontecendo na APA do Iraí com a construção de um aeródromo privado em Piraquara:

    http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1298026&tit=Pista-de-aviao-abre-polemica-ambiental

    Essa obra, embora embargada pelo IAP após insistentes denúncias das ONGs e associações de moradores locais, causou inúmeros danos ambientais, afetando inclusive o lençol freático como demonstra fotografia da reportagem da gazeta do povo de 17/09 onde pode-se observar um caminhão dentro das escavações feitas pelos construtores da pista e água vertendo do lençol freático.

    Obs: a APA do Iraí, localiza-se na Bacia do Alto Iguaçú e foi criada (Decreto estadual 1753/1996) com objetivo principal de proteger a quantidade e a qualidade das águas que suprem o reservatório do Iraí, situado cerca de 1Km da obra e que abastece de água boa parte de Curitiba e da RM e o seu zoneamento (decreto estadual 2200/2000) proíbe atividades aeronáuticas na área do aeródromo. O código brasileiro de aeronáutica (Lei nº 7.565, de 19 de Dezembro de 1986) também proíbe atividades comerciais em aeródromos civis privados, dai não se entender o assanhamento dos políticos locais com a obra!!!!

  9. bleitão

    Ô BUndel defendendo a Senge , um orgão que se presta a defender as cacas dos engenheiros e outros, em que serviço nenhum presta aos que precisam , se manca õ.

  10. Basicão

    A mim ficou bastante claro que a acusação do delegado é contra a DIRETORIA da SANEPAR e não contra os seus funcionários, inclusive os engenheiros. As decisões de fazer ou não, são tomadas pelas diretorias e gerências. Em nenhum momento se acusou a “expertise” dos técnicos da Sanepar, que até sabem como resolver o problema do saneamento no Paraná. As diretorias nomeadas por Requião, Jaime Lerner e Beto Richa é que são as verdadeiras vilãs do assunto. Processo nessa cambada!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>