9:46Bandeira 2

Os caciques locais do PSD estão de fato reunidos neste início de manhã para decidir em que banda vão tocar na eleição de outubro. Como o partido canhou muito cacife com a decisão da Justiça de lhe conferir tempo no horário eleitoral gratuito, e o deputado estadual Ney Leprevost, que tinha esperança de ser o vice de Luciano Ducci foi preterido antes mesmo da decisão com o anúncio de Rubens Bueno (PPS), deu no que deu. O PSD valoriza o passe por conta do adiantado da hora, afinal, hoje as coligações têm que estar definidas. A tropa de Beto Richa, que tinha como certa o apoio, sentiu o perigo. Do outro lado, a de Gustavo Fruet e dos petistas manteve a calma. O pedetista conversou com Ney Leprevost recentemente. Nunca é damais lembrar que Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo, criador e rei da legenda, tentou levar Fruet para o partido antes deste optar pelo PDT. O motivo da recusa foi simples: com o deputado federal Eduardo Sciarra e Leprevost como caciques, no entender de Fruet o partido sempre faria a linha de apoio ao tucanato de Beto Richa – e ele, Fruet, estava saindo fora do partido. Agora, com os acontecimentos desta semana, não se sabe o que pode acontecer. Um guru que olha a política da província a partir dos bastidores construiu uma imagem que tem tudo para ser a verdadeira nesta manhã de sábado e céu azul em Curitiba. Depois da decisão do PSD, os caciques vão para a convenção do PSDB (Richa/Ducci) ou para a do PT (Fruet/Paulo Bernardo/Gleisi). A distância deve ser parecida. Mas não se deve esquecer que os táxis hoje cobram bandeira 2.

Uma ideia sobre “Bandeira 2

  1. Jeremias, o bom

    É claro que o “novo” partido, de tão velhas ideias, vai de Ducci.

    Jabuti não sobe em árvore.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>