11:27O Vampiro na telona

Mostra exibe filmes baseados nas obras de Dalton Trevisan

O MIS-PR (Museu da Imagem e do Som do Paraná) promove, de 18 a 20 de junho, no Auditório Brasílio Itiberê, a Mostra Dalton Trevisan no Cinema, composta por filmes de longa e curta metragem que fazem a transposição do universo do consagrado escritor paranaense para as telas. Os filmes serão exibidos a partir das 19h30 e a entrada é gratuita.

Conhecido pelo rigor com que revisa a própria obra, Trevisan autorizou pouquíssimos realizadores cinematográficos a trabalharem a partir de seu universo ficcional, exigindo fidelidade absoluta ao que foi escrito, sem acréscimos, alterações ou adaptações. Somente dois longas e poucos curtas-metragens fazem parte desse raro acervo fílmico, que será exibido quase na íntegra nesta mostra.

Todas as exibições serão antecedidas por uma apresentação, a cargo de um conhecedor da área, e a sessão de curtas vai contar com a presença dos realizadores dos filmes, que farão um debate.

Recém agraciado com as duas maiores láureas da literatura em língua portuguesa (Prêmio Camões e Prêmio Machado de Assis), o curitibano Dalton Trevisan é considerado o maior escritor brasileiro vivo.

Programação

Dia 18 de junho, 19h30
Um Uísque Antes, Um Cigarro Depois – de Flávio Tambellini
Comédia em três episódios, sendo o segundo, “Mocinha de Luto”, a primeira filmagem autorizada de um conto de Dalton Trevisan. Esse episódio foi filmado em Curitiba, no início dos anos 70, e diversos lugares conhecidos da cidade servem de locação para a história. Apresentação do jornalista Ayrton Baptista Junior (CBN, Globo.com).

Dia 19 de junho, 19h30
Penélope – de Estevan Silvera
Em Busca da Curitiba Perdida – de Estevan Silvera
Balada do Vampiro – de Beto Carminatti e Estevan Silvera
Três dos raros curtas-metragens, feitos com autorização do autor, preservam o texto integral dos contos originais. Apresentação do cineasta Fernando Severo (diretor do MIS). Após a exibição será realizado debate com os diretores.

Dia 20 de junho, 19h30
Guerra Conjugal – de Joaquim Pedro de Andrade
Influência confessa no cinema de Pedro Almodóvar, que o viu em um festival em Barcelona. Joaquim Pedro de Andrade, um dos maiores diretores do Cinema Novo, entrelaça trechos e personagens extraídos de vários contos de Dalton Trevisan, que assina os diálogos. Foi exibido no Festival de Cannes e recebeu diversos prêmios no Brasil. Apresentação do professor Fabio Francener Pinheiro (Curso de Cinema e Vídeo da FAP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>