17:38Nilo Biazetto, adeus

Da Gazeta do Povo, em reportagem de Marcos Xavier Vicente:

Morre Nilo Biazetto, capitão do time que deu origem ao Furacão

Nillo Biazzetto, capitão da equipe que fez com que o Atlético passasse a ser conhecido nacionalmente como Furacão, faleceu por volta das 16h desta sexta-feira (27), aos 89 anos. O ídolo rubro-negro foi vítima de um câncer no sistema linfático.

O apelido veio pela força do Rubro-Negro na conquista do Campeonato Paranaense de 1949, quando a equipe, que tinha Nillo como zagueiro e líder, alcançou a marca histórica de 11 vitórias em 12 partidas, com 49 gols a favor e apenas 19 contra. O recorde de 11 vitórias seguidas no Estadual só foi derrubado 59 anos depois, com o próprio Atlético em 2008.

Ironicamente, Nillo iniciou a carreira no Coritiba, em 1938, por ser o clube mais perto de sua casa. Um ano depois, chegava à Baixada para se tornar ídolo rubro-negro. Foram 12 anos vestindo a camisa atleticana. Mesmo fora do campo, Nillo sempre manteve vínculo com a Baixada. No triênio 2002-2003, o ex-jogador chegou a presidir do Conselho Deliberativo do Furacão.

Os colegas de Nillo lamentaram a perda do Capitão Furacão – como passou a ser conhecido a partir de 1949. “O Nillo era extraordinário. Era o capitão do Furacão e além de companheiro foi um grande amigo”, lamentou o ex-atacante Jackson Nascimento, campeão paranaense com Nillo em 1949. Jackson também elogiou a inteligência e a autoconfiança do Nillo. “É uma grande perda e que merecia muito mais reconhecimento do Atlético. Mas o nome dele nunca vai desaparecer da história.”
 
“O Nillo era zagueiro firme, forte e os atacantes tinham dificuldade de passar por ele. Aprendi muito sobre futebol com ele”, afirmou Waldomiro Galalau, por anos parceiro de zaga de Nillo no Atlético.
 
O corpo do ídolo atleticano será velado na sala VIP da Arena da Baixada, das 22 horas desta sexta-feira às 16 horas de sábado. A cerimônia de cremação, no Crematório Pérpetuo Socorro, em Campo Largo, será restrita aos familiares.

3 ideias sobre “Nilo Biazetto, adeus

  1. lúcia araújo

    Sempre foi um iluminado. Por isso segue seu caminho, com milhares de luzes ao redor, rumo à eternidade. Que seu espírito de luz descanse em paz e que sua alma continue a iluminar o nosso Furacão.

  2. Gustavo Biazetto

    Perdi, um mestre, uma referencia… meu eterno avô
    Muito mais que um pai, perdi um amigo….
    Mas sei que GANHEI o privilegio de ter convivido com ele e aprendido a ser Homem…
    E o que mais aprendi… foram três fundamentais sentidos da vida:
    O AMOR, por todos aqueles que estão a sua volta…
    O AMOR por tudo o que faz… Aprendi que se for fazer algo, que faça…
    Mas faça bem feito e principalmente com AMOR…
    A HONESTIDADE… Aprendi que vale muito a pena ser HONESTO….
    Aprendi que a honestidade está nos seus atos, na sua conduta, na transparência…
    Convivi com ele dizendo entusiasmado: “ ainda vale apena ser HONESTO ´´ ….
    E o RESPEITO… Aprendi o quanto é importante o RESPEITO… pelo próximo…
    Por seu semelhante…. Independentemente da cor, do peso, da cultura, da altura, da pobreza ou riqueza….
    O RESPEITO e o VALOR pelo trabalho….Pelas leis…Pelos deveres e obrigações como cidadão…
    Aprendi o RESPEITO pela natureza…e principalmente pela VIDA….
    Tenho absoluta certeza que não PERDI e sim GANHEI…
    AMOR…HONESTIDADE….RESPEITO
    Seus ensinamentos e o nosso AMOR perpetuara…
    Que a PAZ esteja com o senhor….

  3. Eliane

    Nilo Biazetto, meu pai….Ele tornou sua vida um espetáculo diario, a cada gesto de amor, a cada atitude tomada, a cada missão cumprida. Um modelo de retidão e caráter. Meu exemplo, meu ídolo, meu orgulho!
    Ficamos tristes por não tê-lo mais, mas o fato de tê-lo em nosso coração e de termos o privilegio de ter convivido com ele por todos estes anos, é quase que suficiente para amenizar a tristeza, de nao tê-lo mais ao nosso lado.
    A vida nos ensinou a dizer adeus às pessoas que amamos, sem tirá-las do nosso coração.
    E assim como nossa Mãe é eterna na nossa lembrança, o “Vô Nilo” também estará presente para sempre em nossos corações e na nossa memória.
    Obrigada pela homenagem Zé. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>