11:57Do rudimentar para o mais sutil

Do ministro Carlos Ayres de Britto, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), em discurso de improviso que fez ontem à noite, quando recebeu o título de Cidadão Honorário do Paraná concedido pela Assembleia Legislativa por iniciativa do deputado Fábio Camargo (PTB):

A minha filosofia de vida é simples. Eu acho que nós temos um desafio existencial, que é transitar do mais rudimentar para o mais sutil, ou seja, do nosso lado mais animal para o nosso lado mais que humano, humanista. Nós somos primatas, como todos sabemos. O nosso desafio existencial é o máximo possível de afastamento da nossa dimensão animal e o máximo de aproximação possível da nossa da nossa dimensão espiritual. Esse trânsito nosso, esse transitar do mais rudimentar para o mais sutil, é o desafio de todos nós. Outra dimensão filosófica da minha passagem por esse mundo de aquém túmulo, como dizia Guimarães Rosa, é a abertura para o novo. Eu procuro me discondicionar mentalmente, questiono tudo, problematizo tudo sem ser iconoclasta. Mas entendo que a nossa única questão fechada deve ser a abertura para o novo. Essa abertura para enterrar ideias mortas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *