6:58Kátia Brembatti, Karlos Kohlbach, James Alberti e Gabriel Tabatcheik vencem o Prêmio Esso de Jornalismo

Do jornal Gazeta do Povo:

Gazeta do Povo e RPC TV vencem o Prêmio Esso com a série “Diários Secretos”
Esta é a maior premiação nacional para jornalistas. Foi a primeira vez que uma produção paranaense concorreu ao prêmio

A série de reportagens Diários Secretos, publicada desde março pela Gazeta do Povo e pela RPC TV foi anunciada nesta quinta-feira (18) como a grande vencedora do Prêmio Esso de Jornalismo. A série, que desvendou um esquema de desvio de pelo menos R$ 100 milhões dentro da Assembleia Legislativa do Paraná, de acordo com cálculos do Ministério Público, derrotou na final reportagens dos jornais O Estado de São Paulo e Folha de S. Paulo.

O Esso é o mais importante prêmio do jornalismo brasileiro. Concedido desde 1956, homenageia as mais importantes reportagens publicadas no ano. Esta é apenas a segunda vez que um veículo fora do eixo Rio-São Paulo-Brasília vence a categoria principal. A Gazeta já havia conquistado a categoria Regional Sul em 2004.

O prêmio foi recebido no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, pelo editor de Vida Pública da Gazeta do Povo, Fernando Martins, e pelos quatro repórteres responsáveis pela investigação: Kátia Brembatti, Karlos Kohlbach, James Alberti e Gabriel Tabatcheik.

Os quatro jornalistas trabalharam por quase dois anos organizando uma base de dados com informações que foram obtidas em mais de 700 diários oficiais. Os jornais eram mantidos na Assembleia sem qualquer tipo de publicidade: nem os jornalistas nem a população conseguiam acessá-los, numa afronta à Constituição, que determina a divulgação dos atos dos poderes públicos.

Os repórteres trouxeram à tona um esquema que envolvia a contratação de funcionários laranjas e fantasmas – alguns nem sequer moravam no Paraná. Em Balneário Camboriu, no litoral de Santa Catarina, por exemplo, a Gazeta do Povo e a RPC TV localizaram servidores fantasmas da Assembleia do Paraná. Dois desses fantasmas estavam lotados no gabinete do presidente Nelson Justus (DEM) e do primeiro-secretário Alexandre Curi (PMDB).

Desde o início da série, três diretores da Assembleia foram demitidos e presos. Abib Miguel, o Bibinho, José Ary Nassiff e Cláudio Marques da Silva enfrentam agora processo na Justiça pelas denúncias protocoladas pelo Ministério Público. Um processo de cassação do mandato e Justus e de Curi também foi protocolado na Assembleia, mas o Conselho de Ética optou por arquivá-lo.

As denúncias também levaram a sociedade paranaense a se mobilizar. Liderado pela OAB, o movimento “O Paraná que Queremos” reuniu milhares de pessoas em ato público em junho. Uma das reivindicações do movimento foi atendida em setemrbo, quando a Assembleia aprovou a Lei da Transparência, que garante a publicação dos atos oficiais unificados e na internet.

Embratel

No último dia 10, a série Diários Secretos já havia vencido o Prêmio Imprensa Embratel – também conhecido como Prêmio Tim Lopes – na categoria “jornalismo investigativo”. O prêmio era disputado com reportagens do jornal O Estado de São Paulo, da revista Época e o do portal iG.

7 ideias sobre “Kátia Brembatti, Karlos Kohlbach, James Alberti e Gabriel Tabatcheik vencem o Prêmio Esso de Jornalismo

  1. nani gois

    parabens para equipe de reportagem da rpc.prova que o parana tem muita competencia nesta area,vede grande numeros de paranaenses que estãos dirigindo e trabalhando na grande imprensa abraços nani gois.obs:continuo achando que faltou valorizar os fotografos desta reportagem

  2. silas

    Nani, vc eh um grande fotógrafo, que eu sei por ter tido a honra de ter trabalhado junto contigo. Mas como se trata de Curitiba, uma provincia auto-fágica em muitas profissões, especialmente no jornalismo, o reconhecimento do verdadeiro profissional raramente acontece por aqui.
    Por que aqui impera a mentalidade tacanha de ¨panelinhas¨. Que somente jornalista ¨diplomado¨é que sabe das coisas e que faz tudo certinho. Hipocrisia pura e simples. Se diploma fosse requisito pra talento e ÉTICA, teriamos outros Prêmios Esso há decadas atrás. Por isso parabenizo vc, que nao eh diplomado, este blogueiro, que não eh diplomado e fazem um grande trabalho. Parabenizo a equipe ganhadora, diplomada, que é um exemplo raro de que fizeram com correção a parte deles, sem serem omissos, anti-éticos e honraram o diploma na parede, mas acima de tudo, honraram eles mesmos, com trabalho honesto.

  3. Edmar Jr.

    Premiação mais que merecida.

    Nossas sinceras homenagens aos ilustres profissionais pelo trabalho perseverante que, de certo, é marca de um novo tempo no jornalismo paranaense.

  4. carvalho

    Os jornalistas, apenas eles, merecem o prêmio. Muito merecido. A história [verdadeira] da Gazeta dos anos 60 a 80 também daria um bom Prêmio Esso. Naquela época a relação do jornal com a Assembléia era outra…

  5. Pedro Andrade

    Também parabenizo os jornalistas pelo trabalho investigativo. Desde a primeira semana de denúncias comentei com colegas que merecia Prêmio Esso. Mas fica aqui minha sugestão da brava equipe também relatar os fatos ocorridos há décadas quando a Gazetona pagava seus funcionários com dinheiro público. O cidadão trabalhava no jornal, mas recebia por meio de cargo da Assembleia e outros órgãos mantidos com o dinheiro pago pelo contribuinte paranaense.
    Pelo que se comenta até calote houve na compra do jornal, na época em que passou para o comendo do dr. Fransciso e companhia.

  6. Edite

    Parabéns ao Gabriel e equipe pela coragem, competencia e profissionalismo.
    O Paraná merece ser tão bem representado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>