16:15Mais rave infernal

Ainda sobre raves do inferno, recebemos a seguinte mais uma denúncia de um leitor do blog:

No sábado, acampei no Centro Escoteiro BS Brasil, em Piraquara, atrás da antiga fábrica da BS Colway. Na frente da fábrica, do outro lado da João Leopoldo Jacomel, tinha uma rave com um som ensurdecedor que com certeza não
deixa ninguém dormir em um raio de um quilômetro, em uma área densamente povoada. O barulho (pois não era música) só parou às 6h da manhã de domingo. Perguntamos aos moradores se isso acontecia sempre. Eles disseram que sim, mas que não adiantava denunciar, pois o local da rave pertence a um poderoso local e o irmão. “Aí, fica difícil fazer o Boletim de Ocorrência”, disse disse um dos moradores.

3 ideias sobre “Mais rave infernal

  1. Alex

    Os filinhos de papai não sao facil.Com a prefeitura tradicionalmente frouxa neste quesito e a policia vendida fica impossivel o bom senso ganhar.Poucos fazem dinheiro e se divertem e muitos sofrem a nao tem direito nem ao sono. Uma vez um concessionaria de carros de palyboyzinhos fazia uma reforma 24h ao lado da UTI do Hospital de Clinicas.Liguei para prefeitura e obvio nenhuma atitude foi tomada obviamente e ainda fui destratado pelo aspone da prefeitura. por anos um bordel de luxo funcionou no Jardim Social aonde festas do arromba iam ate de manha guardadas por um pitbull que vivia solto e inclusive atacou moradores.Aguma atitude tomada apesar de legitimas denuncias?Nunca. Curitiba é realmente a terra da playboyzagem .Estes idiotas mandam e desmandam.Playboys de um lado e nos bunda moles do outro

  2. Omero

    Tem que pegar o nome dos safados responsáveis pela barulheira e denunciar. Divulgar nas rádios, jornais e tvs. Esse negócio de que é parente de gente influente ou autoridade, não cola mais.

    Tem que botar a boca no trombone. Para isso tem leis. Que se cumpra. Doa a quem doer. Chega de ‘otoridade’ incompetente na função pública e aproveitador da paciência do cidadão. Denunciar é o caminho. Aliás, o único.

  3. caio

    Acho que tem gente grauda muito interessada em liberar essas RAVE’S.

    Moro no Mossunguê (próximo à BR 277) e certa noite em um dos vários moteis da região, foi feita uma rave que não deixou ninguém dormir num raio de mais de dois quilometros (do contorno sul ao parque Barigui ninguém dormiu).

    Liguei para a Prefeitura, Polícia e o raio que o parta, mas a resposta era sempre a mesma: – Não podemos fazer nada pois a festa tem autorização para funcionar.
    Uma das atendentes me informou que somente ela tinha recebido mais de 200 telefonemas.

    NAQUELA NOITE NINGUÉM DORMIU, mas como o Mossunguê agora também engloba o ECOVILLE (póóóde?) – moradia de outros poderosos, a festa não se repetiu

    Agora, em piraquara, longe dos ouvidos sensíveis daqueles que a autorizam, acho que as noites em claro vão continuar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>