9:30Protesto no Tribunal de Contas

Neste momento, em frente ao prédio do Tribunal de Contas do Paraná, o Sindicontas, sindicato dos funcionários do TC, abriu os alto falantes de um carro de som no movimento que cobra do conselheiro-presidente Hermas Brandão o cumprimento da promessa de recomposição de perdas salariais relativas aos anos de 2004 e 2005. Entre os discursos, músicas, como “Pra não dizer que não falei de flores”, aquela, do Geraldo Vandré, e Pedro Pedreiro, do Chico Buarque.

  
Pedro pedreiro penseiro esperando o trem
Manhã, parece, carece de esperar também
Para o bem de quem tem bem
De quem não tem vintém
Pedro pedreiro fica assim pensando
Assim pensando o tempo passa
E a gente vai ficando pra trás
Esperando, esperando, esperando
Esperando o sol
Esperando o trem
Esperando o aumento
Desde o ano passado
Para o mês que vem

Pedro pedreiro penseiro esperando o trem
Manhã, parece, carece de esperar também
Para o bem de quem tem bem
De quem não tem vintém
Pedro pedreiro espera o carnaval
E a sorte grande no bilhete pela federal
Todo mês
Esperando, esperando, esperando
Esperando o sol
Esperando o trem
Esperando aumento
Para o mês que vem
Esperando a festa
Esperando a sorte
E a mulher de Pedro
Está esperando um filho
Pra esperar também

Pedro pedreiro penseiro esperando o trem
Manhã, parece, carece de esperar também
Para o bem de quem tem bem
De quem não tem vintém
Pedro pedreiro está esperando a morte
Ou esperando o dia de voltar pro Norte
Pedro não sabe mas talvez no fundo
Espera alguma coisa mais linda que o mundo
Maior do que o mar
Mas pra que sonhar
Se dá o desespero de esperar demais
Pedro pedreiro quer voltar atrás
Quer ser pedreiro pobre e nada mais
Sem ficar esperando, esperando, esperando
Esperando o sol
Esperando o trem
Esperando o aumento para o mês que vem
Esperando um filho pra esperar também
Esperando a festa
Esperando a sorte
Esperando a morte
Esperando o norte
Esperando o dia de esperar ninguém
Esperando enfim nada mais além
Da esperança aflita, bendita, infinita
Do apito do trem

Pedro pedreiro pedreiro esperando
Pedro pedreiro pedreiro esperando
Pedro pedreiro pedreiro esperando o trem
Que já vem, que já vem, que já vem, que já vem, que já vem

55 ideias sobre “Protesto no Tribunal de Contas

  1. Osório

    Prezados “Oi” e “Dust”, afastem o rancor da alma e venham participar da corrente pró bem. O TC é um ótimo lugar para trabalhar e a vitória apenas será alcançada quando todos caminharem rumo ao mesmo objetivo. A história mostra que o diálogo e a consideração para com o próximo são as melhores ferramentas para se atingir nossas metas. Muitas vezes, aquele que você julga ser seu pior inimigo é seu maior aliado. Olhem para os lados e vejam que belo lugar para se trabalhar é o TC. Existem grandes problemas, por certo, mas os bons valores ainda imperam nessa Casa. Com a corrente pró bem e ruma à vitória.

  2. Avatar dos que mandam

    Caramba pessoal. Esse sindicato é mesmo ban-ban-ban, agora a direção está num beco sem saída:

    SE conceder os tais 13% retroativo, vai ficar claro para todo o mundo que o caminho que o SINDICONTAS escolheu, com carro de som, ameaça de greve, conga la conga, acusações nominais etc é o caminho que dá certo…

    Quer dizer: se a direção conceder o que já estava a caminho, vai fortalecer o sindicato e seus, digamos, “ideólogos” (o trio KCD), sinalizando que as próximas reivindicações só sairão com o conga-la-conga no último volume…

    A outra opção da direção é não conceder p… nenhuma e começar do zero, empurrando com a barriga…

    Qual opção o distinto leitor acha que vai prevalecer ?
    Pois é, eu também acho o mesmo…

    PARABÉNS SINDICONTAS, vcs conseguiram emperrar o que já estava difícil…

    Parabéns ao brusco, ao turco e ao dançador de conga.
    Vcs já ganharam o prêmio Miopia Política 2010 !!

    Abrass…

  3. Chad

    Com todo o respeito, Sr. “Que vergonha”, mas é exatamente esse pragmatismo citado por v. senhoria que me faz atacar os salários dos que ganham mais. Na prática, para uns ganharem mais os outros estão ganhando menos. Enquanto ficamos com “propostas sólidas, concretas e coerentes” para ganhar misérias (e somente em juízo) esse povinho arrebanha rios de dinheiro….ao menos recentemente um Juiz de verdade deu uma moralizada nessa palhaçada…

  4. Januário

    o pessoal do tc só pensa em dinheiro mesmo, mas questões importantes como o aquecimento global e aquele lagão que consome um monte de água para fazer os funcionários felizes ninguém lembra. abaixo a ditadura do tc. viva o meio ambiente.

  5. Para divertir

    Gepeto era um carpinteiro que vivia sozinho e sonhava em ter um filho. Um dia, ele decidiu fazer um boneco de madeira, que ganhou vida graças ao seu desejo.
    - Serás o filho que eu não tive e vou chamar-te Pinóquio.
    Nessa noite, uma Fada Madrinha visitou a oficina de Gepeto e ao tocar Pinóquio com a varinha mágica disse:
    - Vou-te dar vida, boneco. Mas, deves ser sempre bom e honesto!
    No dia seguinte, Gepeto notou que os seus desejos se tinham tornado realidade. Mandou Pinóquio à escola, acompanhado pelo grilo cantante Pepe.
    Pelo caminho encontraram a D. Raposa e a D. Gata.
    - Porque vais para a Escola se há por aí tantos lugares bem mais alegres? – perguntou a Raposa.
    - Não lhe dês ouvidos! – avisou-o Pepe, o grilo. Mas Pinóquio, para quem tudo era novidade, acabou por dar ouvidos a D. Raposa e conheceu Strombóli, o dono de um teatrinho de marionetas.
    - Comigo serás o artista mais famoso do mundo! – sussurrou no ouvido de Pinóquio, o astucioso Strombóli.
    O espectáculo começou.
    Pinóquio foi a estrela, principalmente pelas suas asneiras, que causaram muitos risos. Os outros bonecos eram espertos, tinham prática, enquanto Pinóquio era trapalhão… Por isso triunfou!
    No final do espectáculo Pinóquio quis ir embora, mas Strombóli tinha outros planos.
    - Vou prender-te nesta jaula, boneco falante. Vales muito mais do que um diamante!
    Por sorte o grilo Pepe correu a avisar a Fada Madrinha, que enviou uma borboleta mágica para salvar Pinóquio.
    Quando se recompôs do susto, a borboleta perguntou-lhe aonde vivia.
    - Não tenho casa. – respondeu Pinóquio.
    A borboleta voltou a fazer-lhe a mesma pergunta, e ele a dar a mesma resposta. Mas, sempre que mentia, o nariz crescia-lhe mais um pouco, pelo que não conseguiu enganar a Borboleta Mágica.
    - Não quero este nariz! – soluçou Pinóquio.
    - Terás que te portar bem e não mentir! Voltas para casa e vais à Escola. – disse-lhe a Borboleta Mágica.
    Ao regressar a casa, Pinóquio foi recebido com muita alegria por Gepeto e passou a portar-se bem.
    Algum tempo depois, quando ia para a Escola, voltou a encontrar a Raposa, que o desafiou para a acompanhar à Ilha dos Jogos.
    Não resistiu e lá foi com a Raposa. Assim que entrou começaram a crescer-lhe as orelhas e a transformar-se em burro. Aflito, valeu-lhe o grilo Pepe, que lhe disse:
    - Anda, Pinóquio. Conheço uma porta secreta…! Não te queres transformar em burro, pois não? Levar-te-iam para um curral!
    - Sim, vou contigo, meu amigo.
    Ao chegarem a casa encontraram-na vazia. Souberam por uns marinheiros que Gepeto se tinha feito ao mar num bote. Como o grilo Pepe era muito esperto, ensinou Pinóquio a construir uma jangada. Dois dias mais tarde, quando navegavam já longe de terra, avistaram uma baleia.
    - Essa baleia vem direita a nós! gritou Pepe.
    - É melhor saltarmos para a água!
    Mas não se salvaram … a baleia engoliu-os.
    Entretanto, descobriram que no interior da barriga da baleia estava Gepeto, que tinha naufragado durante uma tempestade.
    Depois de se terem abraçado, resolveram acender uma fogueira. A baleia espirrou e deitou-os para fora.
    - Perdoa-me, papá – suplicou Pinóquio muito arrependido.
    E a partir daí mostrou-se tão dedicado e bondoso que a Fada Madrinha, no dia do seu primeiro aniversário, transformou-o num menino de carne e osso … num menino de verdade.
    - Agora tenho um filho verdadeiro! – exclamou Gepeto radiante.
    FIM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>