8:05E no Barigui, não vai nada?

A barbaridade que está acontecendo nos finais de semana no Parque Barigui, situação escancarada com muita competência pelo telejornalismo da RPC, demonstra, além da insanidade dos que vão ali para encher a caveira, brigar e sujar um dos principais cartões postais da cidade, um atestado de incompetência das autoridades municipais, estaduais, meio-ambientais e quetais ao permiterem que esculhambem o que Curitiba tem de melhor. O Barigui já foi considerado a “praia curitibana”. Agora, aos domingos, se transforma numa sucursal do inferno.

11 ideias sobre “E no Barigui, não vai nada?

  1. Lery

    Estive no Barigui na terça, dia 2. Muita gente e muuuita sujeira. Ouvi de pessoas que frequentam o parque há muitos anos a indignação: nunca vi esse parque tão sujo!!!!! Garrafas e copos espalhados por todos os lados, ainda pela manhã. Um pena realmente!!!

  2. Charles Friedrich Jr

    Sem preconceitos. Mas, isso é a comprovação de que não basta apenas, ascender na classe ecônomica, sem ter ascendido na educação (atitudes que demonstram respeito, civilidade, ética, responsabilidade). Está visão do inferno, no Barigui, se repete nos hipermercados, shoppings, ruas, Passeio Público, ciclo vias, rios, enfim em todos aos ambientes públicos.

  3. Gustavo Guimaraes

    ë duro condenar as autoridades quando o problema é de educacao que sai da cada de cada um dos imbecis que fazem dos parque seus palcos de exibicionismo.

  4. antonio carlos

    O parque Barigüi está entregue as traças. Ninguém respeita nada. Pintaram uma faixa separando os ciclistas dos pedestres. E ficou tudo igual. Fico admirado de que não aconteçam coisas ainda piores. Para quê serve a tal Guarda Municipal ? Para ficarem batendo papo? Os tais guardas não servem nem para orientar as pessoas, vêem as coisas acontecendo e fazem de conta que não é com eles. A solução para os problemas do parque é nomear um administrador, e não administrar a distância. Se é que há alguma administraçao. ACarlos

  5. antonio angelo

    que bem que sempre é culpa das autoridades. um alívio pra nós, cidadãos, que podemos continuar zoando à vontade. a responsabilidade, podemos ficar tranquilos, cai no colo do poder público.

  6. xisburge

    É zona leste! é zone leste!

    a culpa disso tudo é inegavelmente do beto richa, por criar a dita tarifa domingueira. há algum tempo já desisti de sair de casa aos domingos. prefiro ver o horror da tv de domingo a tarde, ao horror das ruas de domingo a tarde, ao vivo.

    e bem claro: nada contra cultura diferente. mas tudo contra arruaceiros e pessoas que não entenderam ainda o conceito de civilização e do direito alheio.

  7. deise

    Acho estranha essa confusão, saldo bancario não garante civilidade ,muito pelo contrario as vezes são os primeiros a dar mau exemplo.

  8. Daniel

    Já passou da hora de adotarem a lei da tolerância zero em Curitiba.
    Resolver o problema do Barigui é facil, é só fazer cumprir a lei.
    Som alto – Multa.
    Estacionamento em local proibido – Multa
    Dirigir embreagado – Cadeia
    Briga – Cana
    Jogar lixo no parque – Multa, se não tiver documento pra levar a multa, manda pra delagacia.

    Em quinze dias adotando esta postura o Barigui ia ser exemplo de civilidade.

  9. marcelo_x

    Bom comentário do Daniel. Basta aplicar o que já é regulamentado. Quem vai aplicar???
    Reduz pela metade o orçamento dos vereadores e deputados e transfere tudo para guarda municipal. Mais guardas e treinamento mensal. Salários realistas = melhores profissionais.

  10. Carlos Américo

    A patroa reclama que nos sanitários cobram R$ 1,00, valor que ela pagaria sem nenhum problema, se fosse revertido em favor da higiene do local. Mas infelizmente o local é pior do que o banheiro da rodoviária de Matinhos na época do carnaval.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>