12:27Vereadores aprovam “potencial construtivo” para o estádio Joaquim Américo

Do site da RPC, em reportagem de Fernando Rudnick e Robson de Lazzari:

Câmara aprova projeto do Potencial Construtivo da Arena da Baixada
Vereadores aprovaram na manhã desta terça-feira (26), por 26 votos a 2, o projeto que possibilitará a conclusão do estádio Joaquim Américo

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou na manhã desta terça-feira (26) um projeto de lei considerado vital para a realização da Copa do Mundo de 2014 na capital paranaense. O Potencial Construtivo, que possibilitará ao Atlético Paranaense receber R$ 90 milhões para a conclusão do estádio Joaquim Américo, a Arena da Baixada, passou pelo crivo dos vereadores por 26 votos a 2. A lei de isenção do ISS (Imposto Sobre Serviços), que beneficiará a Fifa e é condição para a escolha de uma cidade-sede do Mundial, será votada ainda nesta terça.

Nove emendas apresentadas pela bancada de oposição estão sendo discutidas neste momento. Outras 16 alterações também foram propostas pelos opositores, mas devem ser barradas pela bancada governista, que tem maioria na Câmara.

Curiosamente, os dois únicos votos contra a proposta do Potencial Construtivo foram dos vereadores Jair Cézar (PSDB) e Aladim Luciano (PV), que fazem parte da base de apoio do governo.

“Não sou contra a Copa, mas contra a maneira como se está fazendo. O crédito não vai voltar ao município, está sendo transferido a terceiros não havendo ressarcimento”, criticou Cézar, em entrevista à Rádio CBN.

O vereador Pedro Paulo (PT), líder da oposição, discursou antes da votação e explicou o motivo pelo qual seu grupo apoiou o projeto.

“Vamos votar de maneira favorável porque o interesse público justifica a aprovação do projeto”, reiterou, à CBN.

Gláucio Geara, presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, acompanhou a sessão. Técnicos e representantes jurídicos da Prefeitura de Curitiba também assistiram à votação.

4 ideias sobre “Vereadores aprovam “potencial construtivo” para o estádio Joaquim Américo

  1. silvio

    Nem a velinha de Taubaté acredita que os valores serão ressarcidos ao municípío.

    Como li em algum lugar: “Em ano de eleição, o que é econômico vira político. Some-se a esse cenário a leniência, paixões clubísticas e falta de articulação (incompetência também) das lideranças das sociedades representativa da sociedade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>