14:35Alerta AVC

Pela causa, do jeito que veio:

Acidente Vascular Cerebral mata mais de 6 mil pessoas por ano no Paraná, sexto estado de maior incidência da doença no país
Dia Mundial do AVC estimula reflexão sobre a importância do atendimento imediato para diminuir sequelas da doença, que atinge cerca de 100 mil pessoas por ano no Brasil 

O próximo dia 29 de outubro, data em que é celebrado o Dia Mundial do Acidente Vascular Cerebral, é uma excelente oportunidade para alertar os brasileiros sobre a alta incidência da doença e a importância do rápido reconhecimento dos sintomas. Dados da OMS – Organização Mundial de Saúde registram que mais de cinco milhões de pessoas morrem todos os anos devido ao AVC. No Brasil, esse número é de aproximadamente 100 mil, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Desse total, 16 mil óbitos ocorrem na região Sul. O Paraná é o segundo estado de maior incidência da doença na região e sexto no país com 6.070 óbitos anuais. 

Uma das medidas essenciais para reverter esse quadro é informar a população e os profissionais e instituições de saúde quanto à importância do diagnóstico precoce e do reconhecimento dos sinais de alerta indicativos de um AVC. O atendimento correto e imediato é primordial para diminuir as sequelas e aumentar a qualidade de vida dos pacientes. 

“Reconhecer e tratar rapidamente um caso de AVC é um dos grandes desafios atuais. Boa parte das mortes relacionadas à doença poderia ser evitada se houvesse uma melhor divulgação dos critérios de tratamento exigidos nos casos de emergências médicas. Dentro das recomendações internacionais, hoje podemos tratar os pacientes até 4,5 horas depois do início dos sintomas”, afirma a neurologista Sheila Martins, presidente da ONG Rede Brasil AVC, que vem auxiliando as Secretarias Municipais e Estaduais de saúde na organização dos hospitais públicos e do SAMU para o atendimento emergencial do AVC, além de capacitar a rede básica para a prevenção e realizar campanhas educacionais para alerta da população. 

Sintomas

A manifestação de algumas irregularidades pode ajudar na detecção de sintomas do AVC. Constatada a presença de um ou mais destes sintomas, a pessoa deve procurar o serviço de emergência imediatamente. Os principais são:

- Fraqueza ou formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo.

- Confusão, alteração da fala ou compreensão.

- Alteração na visão (em um ou ambos os olhos).

- Alteração do equilíbrio, coordenação, tontura ou alteração no andar.

- Dor de cabeça súbita, intensa, sem causa aparente. 

Tratamento

O Protocolo de Tratamento Emergencial ao Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI) inclui a administração do medicamento alteplase (r-TPA). Trata-se do primeiro e único trombolítico (medicamento que dissolve o coágulo que obstrui a passagem do sangue para o cérebro) aprovado pelas principais diretrizes nacionais e internacionais de tratamento do AVC. Quando administrado no intervalo de zero a quatro horas e meia do início dos sintomas, o medicamento aumenta em até três vezes as chances de uma recuperação completa, sem sequelas como incapacidade de fala, locomoção, distúrbios de memória e raciocínio. Tal característica possibilita a melhora significativa da qualidade de vida daqueles que são acometidos pelo AVCI. 

Atualmente cerca de 85% dos casos de AVC são de origem isquêmica (ocasionados pelo entupimento do vaso sangüíneo por meio de um coágulo) e o trombolítico, se utilizado dentro desta janela terapêutica, consegue dissolver o coágulo e aumentar em 30%, no mínimo, o número de pacientes sem sequelas  causadas pela doença. 

Devido a isso, a finalidade das Unidades de AVC, com protocolos rígidos e científicos, é identificar os pacientes com perfil para o uso desse tratamento com critérios de inclusão e exclusão. Nestas unidades os pacientes serão atendidos por uma equipe multidisciplinar, o que agilizará o tratamento desses pacientes, diminuindo assim as complicações decorrentes do AVC. 

O Brasil iniciou em 2005, por meio de neurologistas da Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares, um programa nacional de organização e treinamento dos hospitais públicos e do SAMU que recebeu o nome de Pacto AVC – Programa de Aperfeiçoamento Continuado no Tratamento do Acidente Vascular Cerebral. O objetivo é realizar um melhor atendimento dos casos de AVC. Em 2010, a iniciativa percorreu sete cidades do País e capacitou 576 profissionais.

2 ideias sobre “Alerta AVC

  1. Cassandro

    Pois é. O tal do AVC comendo solto por aí e enquanto isso uns e outros tem uma saúde de vaca de exposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>