7:08Com trânsito, sem vidas

Hoje é o “Dia Mundial Sem Carro”. Para “comemorar”, a seguinte informação do IBGE, revelada pela Gazeta do Povo em manchete: em 2007, a cada grupo de 100 mil habitantes no Paraná, 30,4 pessoas sofreram acidentes relacionados ao transporte, enquanto 29,5 pessoas foram vítimas de homicídios. Para arrematar, segue a carta enviada ontem por Goura Nataraj, um dos incentivadores do uso de bicicleta como meio de transporte e de saúde pública, ao prefeito de Curitiba Luciano Ducci:

Caro prefeito Luciano Ducci,
já começo a achar que o senhor não tem mesmo simpatia alguma pela bicicleta como modal de transporte.
Como seu antecessor, sejamos francos!
Desde o começo do ano estamos esperando um pronunciamento do senhor.
Vários convites feitos, e-mails enviados, conversas com seus assessores . . . . e nada.

Há mais de 5 anos que os ciclistas de Curitiba cobram das autoridades medidas práticas e inteligentes para o fomento de uma cultura de respeito a bicicleta na cidade.
O que conseguimos de efetivo foi tudo ‘apesar’ da prefeitura.
Se existem mais ciclistas hoje em dia, se a bicicleta apareceu na pauta política, se o termo ciclofaixa não é mais um oxymoron, não é por causa da prefeitura, mas sim pelas iniciativas livres de diversos grupos que buscam o respeito aos ciclistas e pedestres como prioridade.

O marketing da prefeitura segue adiante. Estamos fartos disso. O senhor como um médico poderia usar a bicicleta como modelo de saúde pública.

Amanhã é Dia Sem Carros.
Que tal ir de bici pra a prefeitura?
Vai prende-la aonde?
Sugiro o poste que tem na esquina, ou o bicicletário abandonado ali nas redondezas.

Francamente, prefeito!!
Falta diálogo da sua parte.

Nossas iniciativas estão expostas – www.artebicicletamobilidade.wordpress.com

Pedalar em Curitiba ainda é muito perigoso e as autoridades seguem omissas.
A matéria da Gazeta abaixo reforça o coro. Os ciclistas estão fazendo sua parte. E o senhor???

Em alto e bom tom, pra inglês ver: CURITIBA – NOT BIKE FRIENDLY!!!

Uma ideia sobre “Com trânsito, sem vidas

  1. Ernesto

    Infelizmente a linha foi mantida. Pensei que Ducci pudesse ser diferente do Beto que por paixao aos autos nao lhe interessa-se por bicicletas ou por quem as quer usar. Li noticia sobre a ciclofaixa da Mal. FLoriano, uma quase lenda, jah que de promessa em promessa passam-se os anos e nada efetivamente foi feito. O marketing da prefeitura gaba-se dos 100 km de ciclovia. Quem dera fossem realmente 50 km de ciclovias ao modelo alemao, holandes. O que existe aqui nao passa de arremedo de infraestrutura cicloviaria, como tambem politicos que sao arremedos de administradores, que sao incapazes de sair da bolha que os envolve, ora insufilmada bolha blindada, ora bolha em condominios artificiais que enriquece especuladores. E os nossos rios entao? Bicicleta, um luxo para poucos que tem a coragem de enfrentar as adversidades, aparentemente criadas intencionalmente para dificultar o modal bicicleta, que na visao carrocrata do IPPUC, URBS, Richa e companhia “ilimidata”, um mero brinquedo, que devia estar restrito aos parques e condominios, bem longe das vias, onde atrapalha o deus de lata, reverenciado e amado por tais administradores-fantoches.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>