9:50Toga na Terra

Carlos Hoffmann, presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ), negou que naquele sagrado local haja pagamentos de supersalários. O de R$ 100 mil, pago a um escrivão de cartório aposentado que recebe pelo tribunal, que apareceu na página da internet do próprio TJ, foi fruto de determininações judiciais, explicou o presidente. Os outros 199 que estão acima do teto máximo também foram explicados, principalmente os dos “36 desembargadores, 8 assessores jurídicos e cerca de 90 juízes que recebem 10 mil a mais que o teto estabelecido pela constituição federal, pois se trata de “vantagens eventuais”, ou seja, terço de férias e o abono de permanência, itens salariais que não estão sujeitos ao teto constiticional, segundo Hoffmann. Maravilha! Resta saber porque. por exemplo, um porteiro ganha R$ 8 mil e se entre os quase cinco mil funcionários do nobre poder judiciário da província todos cumprem expediente. Fica também o registro do fato de o presidente convocar a imprensa para dar satisfação. Gesto nobre, apesar de ter sido fruto da repercussão negativa do escracho na imprensa. Isso demonstra que os homens na toga de vez em quando podem baixar à terra para falar com a ninguenzada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>