12:35Eterna criança

A “eterna criança” no homem é uma experiência idescritível, uma incongruência, uma desvantagem e uma prerrogativa divina, é um imponderável que constitui o valor ou o desvalor último de uma personalidade. (Carl Jung, na citação de  William Kennedy em “O grande jogo de Blly Phelan)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>