7:02Carli e a nossa hipocrisia

De Rogério Galindo, publicado na coluna “Caixa Zero“, do jornal Gazeta do Povo:

Para mim, não há dúvida: o caso Carli é o julgamento do ano no Paraná. Mais do que isso: é um dos fatos políticos mais importantes da história recente do estado. É o fato que nos fará ter uma ou outra opinião sobre os nossos poderes daqui por diante, e por um bom tempo. E me explico em seguida.

Tivemos muitos julgamentos de políticos em tempos recentes. Gente acabou tirada de cargos importantes, casos de caixa dois explícitos foram arquivados, alguns foram punidos criminalmente. Mas nada se compara ao caso Carli.

É que no caso atual o político em questão (ou ex-político, ao que tudo indica) está sendo julgado por um crime comum. Mais do que isso: por um crime que poderia ter sido cometido por qualquer um de nós.

Para matar alguém no trânsito não é preciso ter acesso a verbas públicas, não é preciso ter lugar na Assembleia Legislativa, não é necessário ter poder de lobby junto às autoridades.

Basta ter um carro. Basta não respeitar a lei. Basta não ser cuidadoso. Basta um momento de irresposabilidade.

Quando vemos um político sendo julgado por desvio de verba, mensalão ou fraude, ficamos indignados e gritamos. Mas não sabemos se estamos sendo totalmente sinceros. Quantos, do outro lado da linha, não fariam o mesmo?

Agora, não. O que ele fez, muita gente faz. Quantos não passam nos semáforos fechados, achando isso uma infração menor? Quantos não acham a restrição de velocidade nas ruas uma “bobagem” e decidem por conta própria ultrapassar esse limite?

Carli está sendo julgado por algo que nossos amigos e conhecidos fazem, quando não nós mesmos. É bom que estejamos indignados, mas melhor ainda é que alguém decida botar a mão na consciência e ver que é preciso que a gente, eu e você, não faça o mesmo.

Não é o que parece acontecer. Assim que a Justiça cancelou o contrato entre a prefeitura e a Consilux (um julgamento daqueles que nos indignam por se tratar de um erro “deles”) mais de 10 mil pessoas num único dia passaram acima da velocidade pelos pontos onde os radares foram desligados.

Esqueceram o que aconteceu no caso Carli? Acham que, por não serem políticos, seu crime de ultrapassar a velocidade é menor? Acham que se garantem, que a lei não é para gente esperta como eles?

O fato é que desrespeitaram a lei em benefício próprio. Exatamente como parecem fazer diariamente nossos mandatários.

Não somos diferentes deles. E é por acharmos que esses “pequenos desvios” são aceitáveis que acabamos aceitando os grandes. E reelegendo quem muitas vezes não merecia. Perdoamos seus erros porque perdoamos os nossos.

Está na hora de acabar com isso. Que o julgamento do Carli nos lembre disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>