17:56Os Yared e o primeiro dia do julgamento

Recebemos a seguinte mensagem de Gilmar Yared, Christiane Yared e do advogado Elias Mattar Assad: 

1. Os objetivos da acusação nesta primeira audiência judicial foram atingidos satisfatoriamente. Todas as testemunhas arroladas na denúncia do Ministério Público foram ouvidas e confirmaram o que já haviam dito no inquérito policial. Os peritos oficiais, subscritores dos laudos técnicos, também foram ouvidos e confirmaram seus trabalhos;
 
2. A questão ligada ao laudo de dosagem alcoólica, não aceito pelo Juízo, em nada alterou o quadro probatório. Os socorristas e médico que atenderam o sinistro, ouvidos judicialmente, reafirmam o hálito etílico do acusado. Os garçons e  manobristas do restaurante onde estava o ex-deputado, foram muito firmes na questão do consumo de vinho e sinais aparentes de embriaguez por ocasião da saída do acusado daquele local. O próprio médico do ex-deputado Dr. Eduardo M. Silva, que o acompanhava na saída do restaurante declarou na audiência que, juntamente com os manobristas, tentaram, sem sucesso, impedir o ex-deputado de dirigir seu veículo (pela embriaguez);
 
3. A questão da velocidade desenvolvida pelo réu: os peritos oficiais confirmaram o que a perícia já havia afirmado, ou seja, 167 km/h com oscilação de 6 pontos para mais ou para menos, resultando em uma velocidade provada cientificamente entre 161 km/h a 173 km/h. Apenas para se ter um comparativo, o último GP de F1 de Singapura teve velocidade média de 159 km/h;
 
4. O quadro probatório indica tecnicamente certeza absoluta de que o ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho será levado a julgamento pelo Tribunal do Júri, por duplo homicídio doloso eventual, conforme denúncia do MP;
 
5. O Dr. Daniel R. Surdi de Avelar, que preside o processo, suspendeu os trabalhos em data de hoje reconvocando todos para prosseguimento amanhã (5/2/2010) às 9h00 para audição de duas testemunhas faltantes da acusação (Alex Nascimento Silva e Yuri Y. da Cunha) e testemunhas da defesa;
 
6. Com relação aos Deputados Valdir Rossoni e Durval Amaral, arrolados como testemunhas da defesa, houve desistência pela própria defesa o que foi aceito pelo Juiz. Portanto, estão definitivamente dispensados de comparecimento;
 
7. Finalmente, quanto ao ex-deputado não ter comparecido ao ato alegando ser direito seu, as famílias das vítimas interpretaram como um abuso de direito mais próximo do descaso com a Justiça. Isto não quer dizer que não deva comparecer para ser interrogado já que se trata de ato obrigatório e indispensável.
 
Creem os familiares das Vítimas que estão presentes todos os ingredientes para se fazer Justiça!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>