6:54Humanidade

Cena curitibana. A madame chega ao segundo andar do aeroporto Afonso Pena, ali onde há um imenso janelão, e o espaço está todo ocupado por familiares dos que embarcam, desembarcam e por reprsentantesd o povão que cumprem o programa sagrado de ver subir e descer aviões numa tarde de domingo.Ela olha por alguns segundos, dá meia volta e se retira do local com uma observação: “O cheiro de humanidade está muito forte”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>