22:20Golpe da navalha de fogo

Uma cantiga de amor, entoada com as palavras mais simples, explodiu o meu coração num arco-íris de borboletas em revoada – uai, grande olho piscante de vaga-lume em cada uma das cinco asas.
Se abrindo todas em flor.
E me apaixonei.
O mesmo golpe da navalha de fogo que escancarou os olhos de Van Gogh para o amarelo dos seus trigais e o vermelhão de sua colcha na cama.
Fatal.
Euzinha em pedaços no remoinho dos suspiros, gemidos, delícias, ecos, hinos, epifanias.
Mais o abismo, a febre, o chicotinho, o delírio, as pequenas mortes de êxtase e…

de Dalton Trevisan

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>