6:34Draga e avisa

Da coluna de hoje do jornalista Celso Nascimento, no jornal Gazeta do Povo:

Uma draga sob medida

Se você precisa de um terno novo e faz questão de que paletó e calça se ajustem perfeitamente à sua barriguinha de chope, é melhor procurar um alfaiate, tirar as medidas, encomendar a roupa e esperar que fique pronta. Já se você não é muito exigente, o mais prático é percorrer as lojas até encontrar o terno que melhor se adapta às protuberâncias que você desenvolveu durante a vida. Pega a roupa, passa pelo caixa e vai embora.

Tudo leva a crer que a compra da draga para o Porto de Paranaguá está sendo feita numa “loja” de dragas prontas – coisa tão rara quanto achar um terno acabado e sem dono num alfaiate. No caso, porém, as medidas exatas teriam sido tiradas depois que o equipamento foi encontrado ancorado no Porto de Auckland, na Nova Zelândia. Isto é: desconfia-se que o edital de concorrência internacional foi elaborado depois de se conhecer o produto! As propostas serão abertas no próximo dia 8 e se coincidir… será mera coincidência?

A pergunta desconfiada é de uma gente intrometida que há anos acompanha tudo o que acontece nos agitados mares sob jurisdição da Appa, a Admi­­­nistração dos Portos de Para­­naguá e Antonina. A curiosidade dessa gente foi aguçada desde o momento em que o governador Roberto Requião avisou que mandara abrir edital de compra de uma draga. O edital saiu em julho passado e dele constam todas as características técnicas do equipamento desejado – capacidade de sucção e carregamento, potência dos motores, acomodações para tripulantes – tudo nos mínimos detalhes. Consta também o preço exatíssimo que o governo está disposto a pagar: R$ 46.641.600,00.

Pois não é que existe uma draga com as mesmas especificações prontinha para ser usada? Ela foi posta à venda pela empresa corretora Auckland Shipbrokers, com sede na Nova Zelândia, conforme rigorosa pesquisa paralela que os intrometidos fizeram pelo mundo. Segundo eles, não há outra draga disponível com as mesmas características descritas no edital.

O edital não é de encomenda a um fabricante, mas aberto a qualquer um que tenha uma draga pronta. Lembre-se, neste ponto, que não se trata de um equipamento-padrão: cada um é construído de acordo com as características exigidas por quem o encomendou. Assim, achar exatamente o que se quer à pronta entrega é, como no exemplo, encontrar já feito no alfaiate o terno bem na medida das suas pernas, braços, cintura ou banhas de sobra. Mas não é que existe numa prateleira da Nova Zelândia uma draga que combina exatamente com as medidas milimétricas estabelecidas pelo edital?

Suspeita

Isso de fazer concorrência dirigida é feio. Desperta suspeitas. Logo, não se deve acreditar que as coisas tenham acontecido dessa maneira, pois é bem conhecido o rigor com que o governo trata quem infringe os regulamentos e as regras morais que devem prevalecer nos negócios públicos no Paraná. Agora só falta o Tribunal de Contas ou o Ministério

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>