15:07Querem sumir com outra “Sete Quedas”!

quedas-de-abelardo-1-2212

Sete Quedas de Abelardo Luz: risco de desaparecimento

Do blog do JJ (www.blogs.abril.com.br/blogdojj):

Estas belíssimas  Sete Quedas de Abelardo Luz estão ameaçadas de secar, por obra e interesse de empreiteiros que visam o lucro a qualquer custo, pouco se importando com o risco de prejudicar eternamente a Natureza e este patrimônio da Humanidade.

A construção da Usina do Túnel, no Rio Chapecó, antes das Quedas de Abelardo Luz, é uma ofensa à inteligência e ao bom senso. Mesmo assim, alguns políticos passaram a apoiar a iniciativa desta obra desnecessária (pois poderiam construir a usina em outro lugar, mas as Quedas não podem ser reconstruídas).

Nesta terça-feira, dia 25, acontecerá uma Audiência Pública, para discutir o futuro da obra e das Quedas. Quase 30 entidades locais e regionais estão mobilizadas, para enfrentar este problema e reprovar a construção da usina, que reduziria drásticamente a vazão do rio e nas quedas.

As Sete Quedas de Abelardo Luz não podem morrer, como morreram as Sete Quedas de Guaíra – o que foi um crime inominável contra aquela maravilha da Natureza, que existia no Rio Paraná. Disseram, na época, que depois de cheio o reservatório de Itaipu, as Sete Quedas poderiam voltar à vida. Isso jamais aconteceu.

As Quedas de Abelardo Luz são uma atração turística sem igual, para movimentar o comércio e os serviços da cidade e da região. Podem gerar centenas de empregos e milhões em impostos. A Usina do Túnel, quando pronta, será toda automatizada e terá só 3 ou 4 funcionários, gerando zero de impostos para a cidade. Nem a energia gerada, de pouco mais de 28MW ficará em Abelardo Luz.

O Brasil não precisa desta usininha e nem pode permitir o fim das Quedas de Abelardo Luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>