9:08Convite e cama

Você  vem esta tardezinha
cheirando a sabonete e lago
com prenúncio de noite com vagalumes.
Venha com o vestido branco
meio curto e de alças
que você estreou no Natal, lembra?
Comprei vinho, uvas passas, panetone,
tem bolo, maionese, pão de minuto
e frango assado com farofa.
Você  vem, não vem?
Com seu perfume de alfazema nos peitos
atrás das orelhas
nas alças dos ombros.
As sandálias sempre limpas
(vive pisando onde nas ruas descalças?)
fivela branca da bolsa de couro,
presilha nos cabelos,
flor meio murchando nas mãos.
Tá  bom assim?
O sol vai fugindo devagarinho
pelos quintais das casas dos outros
e ainda bate aqui, nem sala, nem cozinha
e depois some com o piar dos pintinhos.
Consertei a goteira da pia
deixei brilhando o banheiro
passei “Bom Ar” pelo quarto.
Chegue cedo, seu jeito de ser amada
Santa Ceia na parede.
A gente acende velas
se embriaga na penumbra,
vinho, frango, maionese.
Depois um som bem jeitosinho
peixes nadando em nossas línguas.
Venha, mas venha logo.
Tem formigas me picando as pernas,
coxas, braços, rosto.
Venha, mas venha sem pressa
depressa, fugida.
Como a estrela da tarde,
o brilho do céu,
o meu pé de meia.

de Zeca Corrêa Leite

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>