9:06Acordes de Woodstock

Não foi só o som que veio lá de cima que entrou no gueto pobre da vila do subúrbio paulistano. Sabia-se que a ordem unida dos milicos imperava no país, mas as vozes doces e guturais, as guitarras cortantes, os tambores, as violas, tudo ajudou olhar para aquela multidão colorida que depois invadiu vitrolas, telas e, principalmente, jornais com uma mensagem tão simples quanto importante, pois houve sim três dias de “paz e amor” no Império, enquanto o napalm comia solto sobre cabeças, corações e mentes no Vietnã. Caretas sempre falarão das drogas, mas quem trilhou este rito de passagem lamenta apenas a perda dos que não puderam sair e se foram sem poder nos presentear mais com o dom da arte que Deus lhes deu. Felizes os adolescentes que puderam receber na alma tudo aquilo para seguir caminho. Muitos agora têm netos e continuam celebrando a paz e o amor da forma mais honesta. O mundo não melhorou nem piorou, porque quem faz o mundo é a própria pessoa. E quem ouviu todos os acordes de Woodstock abriu horizontes para se tornar mais humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>