7:08De nada adianta dizer

De que adiantam palavras cálidas
se as histórias são outras,
os dias são outros,
as cores diversas,
memórias refeitas,
sentimentos rejeitados?
Para que abrir gavetas,
tirar do armário
roupas sem uso,
lembrar de filmes
que vimos juntos,
paisagens perdidas
em tristes olhares?
Alguma coisa ficou,
mas o disco
não  é mais o mesmo,
o vinho azedou,
silenciaram os sinos,
meu peito mudou.
Por que sangrar a ferida,
agora que a dor passou? 

de Zeca Corrêa Leite

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>