16:07Para monitorar a gripe

A prefeitura de Curitiba informa:

 A partir desta sexta-feira (7), Curitiba é a primeira cidade do Brasil a ter um serviço de call center para monitoramento da evolução do estado de saúde dos suspeitos de terem contraído a nova gripe e que estejam cumprindo isolamento domiciliar. Os pacientes serão avaliados diariamente por médicos e enfermeiros, a partir de contato telefônico. O objetivo é que, sem a necessidade de exposição para nova avaliação clínica, tanto a saúde desses pacientes quanto do público em geral sejam preservadas. A informação fez parte do conjunto de medidas para enfrentar a nova gripe, anunciadas nesta quinta-feira (6) pelo vice-prefeito e secretário municipal da Saúde, Luciano Ducci, e que contempla também o adiamento do retorno às aulas na rede municipal para 17 de agosto. A Prefeitura recomenda que a rede privada de ensino também adie o retorno às aulas. Além do call center e do novo adiamento da volta às aulas, Ducci comunicou também a abertura de novos leitos para receber pacientes com sintomas da gripe e que precisem de internamento. São 22 leitos no Centro Municipal de Urgências Médicas Boa Vista e outros dez, de terapia intensiva, no Hospital do Trabalhador. “Estamos abrindo novos leitos por precaução, para que Curitiba não corra o risco de ficar sem alternativas de internamento suficientes, caso isso seja necessário”, observou Ducci. As medidas foram informadas depois da reunião do Comitê de Controle e Prevenção da Influenza A, formalmente instalado na mesma data. O comitê conta com representantes de sociedades científicas e profissionais da área da saúde, hospitais, órgãos públicos municipais (entre eles as secretarias da Saúde e da Educação), entidades de ensino, Ministério Público e Vara da Infância e da Juventude para atuar em caráter consultivo. Ducci também adiantou que, até a normalização do fornecimento do antiviral Oseltamivir (conhecido como Tamiflu) infantil pelo Ministério da Saúde, a Secretaria da Saúde de Curitiba seguirá fazendo a diluição da forma de apresentação para pacientes adultos em farmácia de manipulação credenciada. O órgão teve de se valer do recurso esta semana, quando identificou a falta do produto. “Não podemos e nem iremos deixar sem o remédio as crianças que precisarem dele. Por isso, já que não temos problemas com o fornecimento da forma adulta do antiviral, optamos por transformar essas cápsulas em medicamento para as crianças”, frisou o vice-prefeito. Com a decisão da Secretaria Municipal da Saúde, o tempo de espera pelo Osetalmivir suspensão (para crianças caiu de quinze horas para seis horas. Além de fornecer o medicamento para todas as 105 crianças na fila de espera até a manhã desta quinta-feira, o órgão também conseguiu mais 205 tratamentos para esta sexta (7). A fim de cumprir sua função terapêutica, o medicamento será fornecido a todos os pacientes que tiverem indicação clínica – sejam atendidos na rede pública ou na privada de saúde. “Caberá ao médico avaliar a situação de seus pacientes e, de acordo com o estado de cada um, requisitar ou não o antiviral. Para a maioria, felizmente ele não é necessário”, esclareceu Ducci. A obtenção do medicamento também foi facilitada para os pacientes da rede privada de saúde que tiverem indicação de uso. De posse da receita médica, além do formulário do Ministério da Saúde e da ficha de notificação preenchidos, assinados e carimbados pelo médico assistente, o próprio paciente ou alguém por ele poderá retirar o Osetalmivir. A partir desta sexta-feira, o remédio poderá ser retirado em qualquer uma das oito unidades de urgências médicas de Curitiba. Até então ele era retirado somente no Centro de Urgências Boa Vista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>