21:08Três horas

O empresário José Nicsak Sobrinho foi morto em frente ao restaurante de sua propriedade por volta das 16h30. Seu corpo ficou estendido no chão, cercado pelos familiares, até as 19h30, quando chegou o rabecão do Instituto Médico Legal (IML). A informação sobre os assassinos é que eram jovens e estavam pilotando uma Honda 125cc cuja placa estava encoberta com um cd. A demora da remoção do corpo ainda espera uma explicação da polícia.

6 ideias sobre “Três horas

  1. Guilherme L.

    O crime aconteceu a uma quadra da casa do governador Requião. È o horror. Vergonha. Cade o Delazari, que diz que os crimes diminuiram? Ele vai fica com a cara aonde? Imcompetência que vem desde lá de cima, do Palácio Iguaçu, vai para a Secretaria de Segurança, e chega na população. O total da porcentagem do orçamento do Estado que vai para a Secretaria de Segurança deveria ser cortado dos impostos dos paranaenses. Afinal, a Secretaria não serve para nada.

  2. Luiz

    Não sei quanto a vocês, mas eu estou revoltado, não moro em região de guerra e nos últimos 5 anos perdi 4 amigos próximos como o Nick. Todos de forma violenta, com tiros a queima roupa. Cade este m….. de Sec. de Segurança? Que Deus me perdoe, mas isto tem é que acontecer com este fdp.

  3. marlus

    o que a polícia tem que explicar é a onda de latrocínios na cidade. grande coisa o cara ficar 3 horas do chão. o que se esperava é que a polícia evitasse assaltos e mortes. aí niguem mais fica morto no chão

  4. Lourival Siqueira

    Sugiro deixar esse osto aberto por mais tempo. Vamos precisar de paciência para saber porque mesmo após a morte o cidadão não tem o respeito merecido.

  5. Carlinhos

    Quando morre pessoas humildes ninguém liga, acha normal, agora quando a violência atinge pessoas de “posse” todos gritam.
    Violência longe e problema “deles”, violência próxima nos preocupa.

  6. Pé Vermelho

    E o que a RPC mostrou no MeioDia de hoje, lá em Loanda? Os traficantes não estão nem aí prá Polícia. Invadiram Delegacia, reviraram tudo, sequestraram uma escrivã, tocaram fogo no corpo dela. Isso um mês depois da propaganda do avião-espião sem piloto em Guaira. Mas não tem jeito não, o povão ainda vai votar no homi prá Senador. É o caraio. Que se phodam todos. Vou embora pro Rio Teles Pires. Lá, sou amigo dos matrinchãs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>