17:56Pelos rios

Todo mundo conhece a situação dos rios que cortam Curitiba. Estão podres. Há solução para este enorme problema? Sim. Como fazer? Na Câmara Municipal de Curitiba anuncia-se agora a intençãodos vereadores Francisco Garcez (PSDB) e Caíque Ferrante (PRP). Eles protocolaram hoje  uma proposição para a criação de uma Comissão Especial da Água. Objetivo: é fazer um amplo levantamento das condições em que se encontram as seis bacias hidrográficas (com os rios e afluentes) de Curitiba, além de buscar solução para acabar com a poluição dos mananciais e melhorar a qualidade da água distribuída pela Sanepar. Só nos resta conferir e torcer para que não seja mais uma iniciativa que não vai sair do papelucho burocrático.

6 ideias sobre “Pelos rios

  1. Pé Vermelho

    Uma boa medida seria uma vistoria bem minuciosa nas paredes dos rios para verificar a existência de esgotos clandestinos.

  2. NAGIB ABDALLA

    Caro Caíque e Francisco:
    Permitam um aparte em colaboração?
    A SANEPAR tem concessão para exploração dos serviços de agua e esgoto em Curitiba, sob a fiscalização da prefeitura.

    A prefeitura fez sua parte, através de um trabalho do IPPUC levantando os pontos de poluição das bacias hidrográficas. Depois, esse levantamento foi repassado à diretoria da área da secretaria do Meio Ambiente. A SANEPAR só se manifesta, quando notificada. Essa proposição vem em boa hora. Aliás, um pouco tarde, até. Executivo e legislativo aliados acredito que o orgão estadual cumprirá sua partedeterminada por Lei.

    Em muitas ruas de Curitiba o esgoto é despejado “in natura” nos rios que cortam a cidade. O pior: em muitas nem rede de esgoto existe. Quando o usuário recebe junto com a conta de água tambem o esgoto, sem existir; se reclamar, a SANEPAR devolve o dinheiro. Se não reclamar, então, tchau e bença.

  3. Juliana Ceccatto

    Oi Zé

    Uma boa oportunidade de discutir a questão das águas já está acontecendo no campo das artes… Sábado (dia 8, às 19h no Memorial de Curitiba) é a abertura oficial da Bienal VentoSul (www.bienalventosul.com.br) que tem como tema: “Água Grande: os mapas alterados”. São artistas de vários países que estarão expondo obras que discutem a importância da água… Vale lembrar que “Iguaçu” em Guarani significa “Água Grande” e “Mapas Alterados” remete às inúmeras modificações geográficas que o mundo vem sofrendo.
    Um abraço
    Juliana

  4. Pé Vermelho

    Ô Abdalla: Muito explicativo o seu ‘post’. Quero emendar o meu, sugerindo que se tome a mesma atitude que Raska Rodrigues tomou em relação aos moradores dos imóveis que despejam os seus dejetos nos canais que adentram o mar, no nosso Litoral. Que se vede, se tampe, as bocas dos emissores bostéricos que desgraçam a vida dos nossos Belém, Ivo, Bariguí, São Lourenço, etéque, etéque…

  5. Tarquinio

    Tento para o caíque e o chico. a iniciativa só tem chance de prosperar com trabalho conjunto da sanepar e da prefeitura, o que é impossível com o atual ocupante do palácio iguaçu.

  6. jango

    É uma reação, antes tarde do que nunca. Ponto para os edis. Até porque o Código de Águas, embora vetusto, também incumbe aos Municípios preservar os rios que nascem em seus territórios. O que vemos por estes Municípios do Paraná é justamente isto, a não preservação das nascentes dos rios. Em vez disso, submissos aos especuladores imobiliários (há os que não comungam neste time nefasto), deixam aterrar as nascentes e pequenos riachos, mesmo infringindo a lei, até porque sabem que terão pouca chance de serem punidos pelos órgãos estaduais competentes ou incompetentes, senão relapsos e coniventes. Se esssas bacias municipais tivessem sido preservadas deste o começo, Curitiba teria, sem dúvida uma configuração muito mais ecológica, se é que ainda a temos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>