17:15Quem?

Um guru do Centro Cívico paga um doce para saber quem, no futuro não muito distante, vai encarar a parada de destrinchar e esclarecer o “fenômeno” Roberto Requião na história da política paranaense. Fenômeno em todos os sentidos, principalmente no que se refere ao incompreensível. Único a governar o Estado por três mandatos, ovelha negra num estado cuja tradição é a conciliação política entre as elites, inteligentíssimo, líder, alvo de chacotas, destemperado, tão personalista que os espasmos encobriram o que, talvez, tenha feito de bom nos governos, brigão, turrão, populista, cópia mal feita de aprendiz de ditador, coração a proteger os mais próximos, enfim, uma interrogação ambulante. Alguém vai se habilitar?

14 ideias sobre “Quem?

  1. Tarquinio

    Zé, tão cedo ninguém vai se atrever a deslindar as maquinações requiônicas.

    Distanciamento histórico é pouco, neste caso.

  2. Rock

    O povo não é bobo sabe que talvez 10 %, do que os adversários falam dele é verdade, e sabem também que foi o único Governador a defender os interesses dos pequenos e enfrentar corporações poderosas que até então nenhum Governador anterior teve aquilo roxo para faze-lo. Claro que esses dez por cento podem ser verdade, mas os outros 90 % de bom também o são e por isso a admiração pelo nosso Governador.

  3. itamar

    Talvez aqueles que faziam parte da campanha dele em 1990
    e que deram áquele fim ao Ferreirinha saibam te responder.
    Como já disse várias vezes falta culhão para alguém GRANDE
    PARA TIRAR ESSA HISTÓRIA A LIMPO

  4. itamar

    Só pra continuar no assunto e lançar uma pequena provocação:Porque o todo poderoso quando ganhou a eleição em 1990,em fins de outubro só pode voltar a por os pés em Curitiba no dia que foi entronizado como governador ja´em
    1991?

  5. Carlos Américo

    Espero que no futuro também possamos ver uma radiografia, tomografia ou ressonância da mão desse cara aí de cima engatada no “corrimão do sucesso” do chefe. Tenha dó. A que ponto o cara chega por um DAS.

  6. Jeremias Bueno

    Perfeito não é. Longe disso.

    Mas trouxe auto-estima aos paranaenses homeotérmicos, tão acostumados que sempre foram a governadores bunda-mole, vaidosos sem motivo, inventores de idéias alheias, fortes diante dos fracos e fracos diante dos fortes.

    Rompeu com a tradição. Não irrigou com dinheiro a imprensa chupa-cabra. Não dobrou a coluna vertebral diante da elite caipira. Pagou o preço. Arrumou um punhado de inimigos. Sofreu. Sofre.

    Mas o sofrimento dele tem mais valor que a alegria dos invertebrados.

    O leão morre, aos poucos, diante de tantas batalhas.

    As baratas sobrevivem até a bombas nucleares.

    Parabéns, baratas! Logo vocês terão um molusco ocupando o lugar do leão.

    A afabilidade e a meiguice voltará. E com ela a inexpressividade do Paraná diante do Brasil.

    Voltaremos a ter um desses governadores que no Brasil ninguém sabe quem é. Talvez só os leitores de Caras o identifiquem.

    E segue a vida na 5ª Comarca. Felicidade, brejeirice e insignificância.

  7. itamar

    O Jeremias,se informe um pouquinho e pergunte pro “leão”
    a tal da história do Ferreirinha,depois que voce souber a verdadeira verdade vai saber de quem voce esta falando.

  8. Tarquinio

    de fato, Jeremias, o Requião é conhecido no Brasil. Mas quase sempre como objeto de piada. Não é levado a sério em lugar algum.

  9. paulo

    Esta é uma missão imposível. Cabeça de louco ninguém consegue explicar.
    Mas se quiser tentar, chame o Doutor Castanho.

  10. fred

    deve ser pq o tar de guru não é obrigado a economizar 20tão toda semana para comprar um botijão de gás, ou seja, 80% da população, se ajude…

  11. Luciano Grimaldi

    Eu adoraria escrever a biografia do Requião! Acrescente-se à sua lista: grande impostor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>