17:57A campanha de Fabio Camargo entra na lambança

A denúncia do deputado estadual Fabio Camargo (PTB) era tão esperada que, pouco depois do pronunciamento, um levantamento sobre a sua (dele) campanha á prefeitura de Curitiba brotou feito água de fonte, mas sem certificado de salubridade. Em julho do ano passado, ele apresentou ao TRE uma estimativa de gastos de R$ 14 milhões, a maior entre os candidatos.  “Acho um pouco fantasioso querer fazer campanha para prefeito, em uma cidade como Curitiba, com menos de R$ 10 milhões. Não sabia que eu apresentaria o valor mais alto, mas prefiro fazer isso e ter liberdade para gastar. Claro que a previsão não significa que vou gastar tudo isso, mas é mais transparente do que campanhas que tentam se passar por humildes e acabam por fazendo Caixa Dois”, disse o petebista à Gazeta do Povo. O arremate disso é estranho. Quem colocou a lupa sobre a prestação de contas do candidato descobriu o seguinte: Camargo não gastou um níquel na produção de programas de rádio e TV; produção de jingles, vinhetas e slogans; e criação de páginas na internet. A prestação de contas foi aprovada, com o dado incrível de que o candidato debulhou  R$ 4,599,96 com pessoal. No TRE está lá sacramentado que o deputado gastou exatos R$ 130.605,10 na campanha, menos de 1% do que estimava. Quem foi atrás dos números também estranhou que o marketeiro Hiran Pessoa de Melo tenha trabalhado de graça para o candidato. Aliás, não só não recebeu como pagou para trabalhar, pois fez uma doação de R$ 12 mil para a campanha. Foi ele quem criou, aliás, aquela bela peça num boteco, do tipo de propaganda de cerveja. E a história do jipe nos bairros. A custo zero ou, pelo jeito, de banana. Como essa coisa toda veio na esteira de um ataque, é muito salutar para a democracia saber como é que se faz uma campanha – e se estapeia pela próxima.

10 ideias sobre “A campanha de Fabio Camargo entra na lambança

  1. zé béthio

    Curiosamente, os gastos da campanha do sr. Fábio Camargo praticamente empatam com os do “Comitê Lealdade”.

    Coisas da vida…

  2. pedro

    previu 14 milhões? achou que menos de 10 era pouco? e gastou 130 mil? cadê o ministério público? isso sim é caixa 2.

  3. Boca Santa

    Peraí,

    Tem Crime Eleitoral ai então !
    Se não há declaração de nenhuma doação para a realização de programas de TV, jingles, vinhetas e slogans, nem há doação de valor estimado para esses rúbricas e, como se viu na campanha, efetivamente houve programas de TV e Rádio Produzidos, Jingles e Slogans, certamente há GRAVISSIMAS IRREGULARIDADES na prestação de contas.

    Só queria saber uma coisa, o que a tal Presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB, vai falar sobre isso ? hein ? hein ?

    E como é que a Promotoria do MPE deixou isso passar assim ? Isso é controle ?

    Espero que o Dr. Néviton apure esse fato GRAVISSIMO e promova ação visando a CASSAÇÃO DOS DIREITOS POLITICOS desse Alucinado Deputado …

  4. PAULOBSB

    É UM ACINTE A POSTURA DO FÁBIO CAMARGO, SUAS INFORMAÇÕES DE GASTOS DA CAMPANHA É NO MÍNIMO IRREAL.
    MAIS UM BABACA NA POLÍTICA DO PR.
    CADÊ O MP, PF e o TSE?

  5. Fausto Thomaz

    O papai e o sogrinho não deixam o MP, PF, etc…se aproximarem muito do “ariano” aí…..sangue azul

  6. Arnoldo

    Inacreditável é a GAzeta dar espaço a Fábio Camargo. qualquer pessoa, minimamente informada, sabe quem é fábio camargo e que interesses ele representa.

  7. Bellatrix

    1986, campanha de Alvaro Dias para governo do Paraná. Hiram Pessoa de Mello e Fabio Campana no comando. Alvaro venceu. Hiram nunca mais saiu dos bastidores de campanhas e politicagens, sempre se esgueirando para levar vantagem.

    Vale lembrar que essa campanha foi inovadora, em linguagem e edição de tevê e rádio. Quem fazia era o pessoal da produtora Olhar Eletrônico, de SP – berço da atual O2, ou seja, Fernando Meirelles e outros caras geniais – com mais um bando de garotos e garotas talentosos de CWB contratados para formar a equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>