23:40A pancada do Fantástico no teflon de Beto Richa

A reportagem do Fantástico sobre as gravações feitas no comitê dissidentes do PRTB que apoiaram o prefeito Beto Richa (PSDB) nas últimas eleições deixaram a da Gazeta do Povo parecendo conto infantil. O que surgiu na tela da Rede Globo, para todo o Brasil, para fechar o programa, é grave e mesmo com a declaração do prefeito, que demonstrou sobriedade, e disse que não compactua com tal tipo de atitude, pode colar em sua imagem, atrapalhar seu sonho de ser candidato ao governo do Estado e, dependendo do desenrolar, até sua trajetória política. A questão que junta lé com cré é simples: óbvio que Richa só foi filmado na inauguração do tal comitê e não aparece distribuindo dinheiro, mas ali ele apresenta do coordenador, Alexandre Gardolinski, o homem que gravou tudo e depois foi contratado para trabalhar em alto cargo comissionado, além de Manassés Oliveira, que liderou o racha dentro do PRTB e que virou secretário municipal e outros envolvidos neste melô. Todos demitidos nesta semana depois que o escândalo explodiu e estava para chegar às páginas e telas. Fosse apenas a entrega de dinheiro para candidatos que desistiram da eleição a título de ajuda para campanha (R$ 1,6 mil como revelou a Gazeta), poderia-se argumentar que era uma ajuda de custo, pois o PRTB apoiou outro candidato a prefeito (Fábio Camargo, do PTB) e os aqueles desistiram de concorrer à Câmara estavam “ajudando” Richa na areeleição. Acontece que o que o Fantástico mostrou também foram recibos assinados  por uma mesma pessoa em nome de outras, o futuro secretário Manassés, que confirmou tudo, a revelação de que pagou-se para pichar a cidade contra candidatos adversários, e Mestre Déa, também ex-candidato, recebendo um pacote de notas para fazer boca-de-urna, coisa eue ele negou de forma ridícula à reportagem do Fantástico. Também foi uma pancada a conversa gravada naquele comitê sobre o candidato “Linguiça do Circo”, onde se falou em quantias de até R$ 5 mil para conseguir sua adesão. Lingüiça não aceitou e confirmou a história do assédio e da tentativa cooptação. Nome mais perfeito para a situação seria impossível. O Ministério Público Federal está com a fita e aguarda-se a investigação total sobre os fatos. Resta saber se o teflon de Richa é mesmo da espessura de seu índice de popularidade.

15 ideias sobre “A pancada do Fantástico no teflon de Beto Richa

  1. dercy gonçalves

    Merece sim. Alem de tudo, se apropriou de um monte de projetos de seu antecessor.
    Isso é bom para essa população curitibana que se diz politizada aprender.

    Finca Beto.

  2. André Mendes

    Se o nosso país fosse decente Lula e Richa estariam na cadeia ou fazendo serviço comunitário. De preferência na enxada (carpindo data). Mensalão e compra de apoio para eles é normal.

  3. Maringas

    Partido nanico vive disso:

    Ou você paga para eles incomodarem alguém, ou alguém paga eles para te incomodar.

    Num eleição de anos atrás, uma candidata a governadora (não lembro o nome) passou a campanha inteira na tv, usando o tempo dela para “bater” no Carvalhinho, que era candidato a senador. Nunca pedia nenhum voto pra ela; só falava mal do candidato a senador.

    Nenhuma novidade; é assim que as coisas funcionam desde sempre.

  4. Ernesto Oliveira

    A pergunta que não foi respondiDa, e que vai ainda ter efeito
    dramático:
    DE ONDE VEIO O DINHEIRO ?

  5. pedro

    linguinça de circo? vocês acham mesmo que o beto pagaria para ter o apoio desse cidadão, na eleição mais tranquila que já houve na cidade?

  6. Monte Castelo

    Bom dia Zé Beto.
    Aqui no litoral sul, céu aberto, com poucas nuvens. Máxima de 22º – mínima de 15º. Mar calmo, lisinho, sem agitação.

    P U F !

    A tal da bomba deu chabu. Não era caramuru.
    Quem tem coisas a explicar é o PRTB. A lambança foi interna. Se não era coligado só simpatizante, o Beto nem tem que se meter.

    Agora se a caterva tucana, o que é bem deles, começar a tentar explicar o que não tem explicação, E S P E R A A A A A A ! ! !
    Que ai tem coisa. Cocô de passarinho a gente não explica.

    Limpa, lava e tá novo, de novo.

    Eu não sou tão antigo (bom né?) mas anteriormente (melhor ainda vou adotar isso), a gente escolhia candidatos por curriculum, por partido, por ideologia (veja bem, partido e ideologia no Brasil não sognificam a mesma coisa), teve um que foi escolhido bom ser meio “bunitim”, agora parece o jogo de RESTA UM. Eles vão se denunciando, se atirando, se sujando. O que “restar” a gente pimba, vota. E vota de novo dali 4 anos. Muitas vezes, não porque o cara é bom, mas porque a gente já sabe os defeitos, sabe como cobrar, onde encontrar, não que isso funcione muito também, mas a gente tenta.

    Agora, tem uns, que nem com epatovis com alcachofra.

  7. Pé vermelho

    Agora eu pagaria pra ver a cara desses “CURITIBOCAS ENSABOADOS” dizendo FICA BETO…PREFEITO EXEMPLO DO BRASIL….KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK….ELE FICOU….FAZENDO O Q TODOS FAZEM…

  8. John

    Mestre Déa é o mesmo que, pouco antes de acabar seu mandato como vereador (que herdou do Ney Leprevost, se não estou enganado), conseguiu destinar por meio de emenda orçamentária o valor de R$ 100 mil para o seu grupo de capoeira… Mal versando, é mais ou menos isso ai…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>