8:16O berro das imagens

Do filósofo do Centro Cínico:

Primeiro, a foto da cidade sem ônibus e com automóveis engarrafados. Hoje, a de um morador de rua no frio da madrugada com o carimbo “Curitiba ao relento”. Imagens fortes, enormes, rasgando de fora a fora a primeira página do principal jornal do Paraná. Se um forasteiro que não conhece a cidade desembarcou aqui neste feriadão e tomou café vendo tais coisas, que existem, mas não na dimensão que os destaques sugerem, saiu correndo e gritando como fazem os autofágicos daqui mesmo: a cidade é só uma miragem de cartão postal.

10 ideias sobre “O berro das imagens

  1. NAGIB

    Zé, numa análise por mais perfunctória que seja chegaremos à conclusão que o autofagismo curitibano é consequência do desconhecimento do que acontece em outras grandes e médias cidades espalhadas pelo planeta. Ou, infelizmente, tentar denegrir Curitiba que é vista como cidade turística com qualidade de vida, com outros objetivos que não são os da cidadania.

    Neste dias de temperatura baixa, muitos vieram aqui passear, e a TV mostrou, visitando nossos centros turísticos, encapotados, bem no estilo de Gramado, Campos dos Jordão e outras.

    Quanto aos nossos problemas, inerentes a todas cidades, os curitibanos acham que o Brasil todo presta, menos Curitiba. Realmente parece que é um vício falar mal de Curitiba. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, enquanto maximizam os positivos, curitibanos maximizam os negativos. Isso é falta de amor pela cidade.

    Na manhã de ontem, sábado, na “Boca Maldita” comentava-se que essa série de reportagens do todo poderoso jornalzão paranaense, maximizando problemas faz parte de suposto acordo político-partidário-financeiro, etc. etc. …..Afinal, 2010 está aí.
    Agora, ter Curitiba como alvo político diminui e muito a credibilidade do maior jornal do Paraná.

  2. Lina Faria

    Tá, não se pode comentar os problemas da metrópole.
    Gente, quem gosta da cidade e vive a cidade, tem prerrogativa, sim, de apontar os problemas e apontar as eventuais causas. Isso não tem a ver com politica partidária. Tem com o apego à cidade que os cidadãos têm.
    Exemplo, quem vive e anda no centro, percebe pra onde migraram os deserdados do transporte coletivo, que aliás, em comparação a outras praças não é caro, mas que subiu de forma impactante, por a prefeitura ter esperado as eleições.
    O transito congestionado e as calçadas, idem, já que não há ciclovias por toda a cidade. As bicicletas de entrega e outras, andam com a maior desenvoltura e velocidade, sem preocupação nenhuma com os pedestres. Ainda debocham quando reclamamos. Esse é um problema que cresce a cada dia. Quem só anda de carro, nem percebe…

  3. Carabina

    O Nagib ainda é da época em que ninguém podia falar verdades a respeito de Curitiba. Afinal, é a única “capital ecológica” do mundo em que as ruas FEDEM por causa do esgoto – problemas que os tão competentes administradores ainda não conseguiram resolver. Não se trata de “autofagia”, caro puxa-saco, mas de mostrar a verdade, e que bom que algum jornal está mostrando, porque já tinha passado da hora. Mas o pior de Curitiba, Nagib, é a população. Que vê os problemas e ainda por cima passa cheque em branco para prefeito que só sabe viajar e fazer campanha – porque outra coisa ele não sabe fazer. Nagib, ao invés de se preocupar tanto com a liberdade de imprensa, trate de garantir seu carguinho de lambe-botas aí na prefeitura.

  4. jeremias bueno

    Existe a Curitiba dos curitibanos, com as suas virtudes e os seus problemas, e a Curitiba dos nagibes.

    Esta não possui defeitos e, se os têm, eles são plenamente justificados pois outras cidades também padecem do mesmo mal.

    É a Curitiba da fachada ecológica, do mito do bom gerenciamento e da censura à qualquer crítica. É a Curitiba do pensamento único e da paz dos cemitérios.

    Ai de ti que que ousar criticá-la.

  5. NAGIB

    Carabina, bom dia!!!
    Entendo sua preocupação na análise subjetiva da administração municipal. Faz parte. Afinal, oposição é salutar e necessária para o processo.
    “…de se preocupar tanto com a liberdade de imprensa…”, você escreveu e, quero lembrar uma frase do Prof. Renê Dotti, em palestra, que ficou gravada e vou repetir pra você: “Não existe liberdade de imprensa; existe sim, liberdade da empresa”…entendeu?

  6. Indy

    Apoiada Lina! apoiado Carabina! apoiado Jeremias!
    Quac! quac para vc nagib e pé vermelho!

  7. Valdemar Poletto

    Carabina e Jeremias Bueno disseram tudo. Existe a Curitiba real, que tem suas qualidades e seus problemas, e a Curitiba dos puxa sacos. Eles são os “nagibs” com cargos públicos. Fachada ecológica, fachada do melhor transporte do país. Até mudar o grupo político que está no poder. No dia em que mudar, os ‘nagibs’ dirão que está tudo errado. Porque lhes falta, acima de tudo, caráter.

  8. NAGIB

    Jeremias, boa tarde!!!
    Só um lembrete: não sou curitibano trezentão…não sou bairrista…
    Pra sua informação, sou PÉ VERMELHO que gosta e respeita Curitiba.
    abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>