7:32Carlos Danilo Costa Côrtes, adeus

Da Gazeta do Povo:

Morreu nesta quinta-feira (4) por volta do meio-dia o jornalista Carlos Danilo Costa Côrtes. Ele tinha 79 anos, era diabético e sofreu uma parada cardíaca. Côrtes estava internado desde janeiro no Hospital Nossa Senhora das Graças. Em fevereiro, passou para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), onde respirava com ajuda de aparelhos. O velório será realizado no Cemitério Parque Iguaçu, mesmo local onde o corpo será sepultado, às 10h desta sexta-feira (5).

Nascido em 29 de março de 1930, Carlos Danilo Costa Côrtes era formado em Filosofia e Direito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Começou a carreira de jornalista em 1955, no jornal Diário do Paraná, onde trabalhou ininterruptamente durantes os 28 anos de existência do veículo. Passou por diversas funções, de repórter a diretor responsável do jornal. Era uma dos principais defensores da memória da publicação, considerada uma das mais expressivas do estado. Chegou a publicar o livro “O Diário do Paraná na Imprensa e Sociedade Paranaenses”, em 2000.

Foi também assessor de relações públicas da secretaria da Fazenda, governo do Paraná e da Procuradoria Geral do estado. Chegou a assumir interinamente o cargo de secretario do trabalho e assistência social enquanto era assessor do chefe de gabinete. Também era membro do Centro de Letras do Paraná.

Como professor, foi fundador do curso de Comunicação Social da UFPR, onde lecionou por 30 anos, passando pelas funções de Chefe de Departamento e Coordenador de Curso. Foi também docente da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Nos últimos 20 anos trabalhou como diretor fundador e coordenador do curso de jornalismo da Escola Superior de Estudos Empresariais e Informática (Eseei).

Uma ideia sobre “Carlos Danilo Costa Côrtes, adeus

  1. Helio Teixeira

    Danilo foi mestre de jornalismo de centenas de alunos
    que passaram pela UFPr, onde ele foi um dos fundadores do
    curso de Jornalismo (mais tarde Comunicação Social).
    Viveu a história do “Diário do Paraná” do começo ao
    fim, porque foi ele quem literalmente fechou as portas
    do ex-representante dos Diários Associados,em Curitiba.
    Deixou escrito um livro sobre o jornal que sempre se dedicou e amou. Se assumiu como opositor à esquerda desde os tempos acadêmicos e pós-64. Mas era um democrata, respeitava as opiniões. E mais, era um homem sincero,
    de caráter. Nessas alturas, o professor Danilo, como gostava de ser chamado, deve estar falando do velho “Diário” com
    São Pedro. Do seu ex-aluno Helio Teixeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>