0:52Faltou pouco para a redenção

Quase vinte e três mil pessoas foram ver Ronaldo, o Fenômeno, no estádio Joaquim Américo. Nenhum problema. Ele merece. Mas a torcida do Atlético Paranaense queria mais é que ele saísse humilhado de campo, junto com seus companheiros do Corinthians – e quase conseguiu, num desses fenômenos só explicáveis porque, vocês sabem, a pelota é redonda. Ronaldo deu um pique, um chute a gol e se machucou, saindo no intervalo e deixando os repórteres apavorados porque havia uma suspeita de fratura de uma costela fruto de um choque ocasional dentro da área. O Atlético não era aquele de domingo passado e houve um momento em que parecia a encarnação de um milagre, ao jogar altaneiro, com garra, com algumas jogadas concatenadas, como diria o saudoso narrador Edson Leite - e tome perder gols e marcar. Três. Pode? Três a zero no Timão que está com o título paulista na mão e parecia um time a trocar passes sem saber o que fazer lá na zona do agrião. Claro que a torcida da casa enlouqueceu, mais ainda quando, num pênalti duvidoso, a bola voou como um foguete para beijar o poste esquerdo do gol defendido por Galato. Em poucos minutos, contudo, quase tudo foi para o brejo, ou seja, voltou ao normal, com o juiz dando uma mão numa falta, a bola entrando, depois outro gol e, se bobeasse, mais um tempinho e o Corinthians empatava. Sim, houve frustração, porque o que aquela torcia rubro-negra mais queria, e esteve perto disso, era uma goleada de quatro, para poder dizer que só ganha de time grande e para esperar a manchete do jornal Tribuna do Paraná de hoje. Tribuna que foi execrada em campo em coros impublicáveis, em faixas e que teve seus fotógrafos xingados também, por conta da famosa capa de segunda-feira passada, aquela, da foto de Julio Cesar em posição que vai virar processo contra o jornal. Nas arquibancadas rubro-negra havia sim torcedores do time paulista disfarçados de atleticanos e sem jeito de gritar os hinos de guerra da torcida Os Fanáticos. Em casa, na Grande Curitiba, Junior, menino grande amigo do beque aqui, funcionário Jornal do Estado que nunca esteve no Parque São Jorge, ele que passou 2008 chorando seu time alvinegro do coração amargando a segunda divisão do campeonato brasileiro, este corinthiano doente deve ter passado do alívio de não ter entrado no estádio, para onde foi por conta de uma entrada que lhe arrumaram, mas não utilizou porque não conseguiria fazer parte da sua torcida, ao lamento de não presenciar ao vivo o instante da quase virada, o momento em que o Atlético se apagou e voltou a ser aquele time que foi espancado  pelo grande rival no final de semana depois outro espasmo de reação. Mas domingo que vem tem mais. O Atlético pode ser campeão paranaense contra o Cianorte. E o Corinthians enfrenta o Santos com vantagem. Depois os dois se enfrentam de novo pela Copa do Brasil, lá em São Paulo. E a senhora bola não para de rolar. Ainda bem! Amém.

4 ideias sobre “Faltou pouco para a redenção

  1. João José, JJ

    A vitória atleticana merecer ser ressaltada, porque do outro lado não tinha um timeco qualquer. Era o grande invicto do País, que levou um banho de bola no primeiro tempo e ganhou espaços porque os rubro-negros cansaram e o Mano Menezes fez mudanças perfeitas (mas ele tem um senhor elenco no banco…Geninho não).
    De qualquer forma, foi uma vitória para lavar a alma.

    JJ

    Só uma coisa, Zé, não seremos campeões paulistas contra o Cianorte, no domingo…Se deus quiser e o time jogar a metade do que jogou nesta quarta-feira, seremos campeões paranaenses.

  2. diego

    domingo seremos campeões paranaense zé, e não paulista, deusolivre!!!! hehe

    uma pena o resultado, apesar da vitória incontestável. mas com o juiz jogando junto com o adversário desde o começo do jogo, já era de se esperar algo do gênero…

    * no atletiba de domingo passado, num dos camarotes da arena, estavam o beto richa e a primeira dama, linda, vestida com a camisa do atlético… hoje, contra o time paulista, quem ocupou o mesmo camarote foi o pessutão… pode ser tudo! rs

  3. Carlos Américo

    Triste sina a do Atlético, essa de ser executado pelos Corinthians. Ano passado, pelo de Alagoas. Agora, pelo original – a menos que alguma alma parva ainda acredite que o Paulista deixará de eliminar o CAP na partida de volta. Eu recomendaria um pouco de cuidado com o genérico paranaense, que passa a existir a partir de 2ª feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>