8:18Acabou o fundo falso!

Da TV Cultura de São Paulo:

Em entrevista ao programa Roda Viva, transmitido ao vivo pela internet (www.iptvcultura.com.br), o cientista político Candido Mendes disse, em resposta a perguntas de internautas, que o político brasileiro vive as diversas idades geológicas. “Tem político da idade da pedra e tem também alguns da idade da pedra polida”, enfatizou Mendes. Porém, ele se mostrou bastante otimista ao ser questionado sobre a corrupção e o atual andamento da política no Brasil: “o país está melhorando muitíssimo porque está se evidenciando a corrupção de todos os tempos. Acabou esse fundo falso. Graças a Deus tudo isso está vindo à tona para não voltar nunca mais”. 

Candido Mendes também falou sobre as cláusulas de barreira dos partidos políticos brasileiros. Para o sociólogo, as cláusulas não são bem vindas. “Eu era favorável à cláusula de barreira, mas estou convencido, hoje, que essas cláusulas estão acabando com um elemento fundamental da política que é a utopia brasileira. As esquerdas, com as cláusulas de barreira, não vão poder fermentar como elas precisariam”. 

Quando o assunto abordado pelos entrevistadores foi a possível candidatura da ministra Dilma Rousseff à presidência da república em 2010, Mendes afirmou que “independente da bravura e da coragem da ministra, que está comovendo todo o Brasil, é preciso se dizer que ela tem uma cabeça absolutamente ligada, tanto na eficiência ao aparelho quanto na plataforma de um governo. Ela associa a candidatura a um programa que é o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento)”, disse o professor, que também se referiu ao tratamento feito pela ministra contra o câncer linfático. 

Num momento de grande descontração, quando questionado sobre a transferência de votos do presidente Lula para a provável candidata do governo à presidência da república, Mendes falou que “a idéia da Dilma é que ela é a “muié” do Lula. Esse é um começo de transferência que não ajuda e isso está me preocupando. Votar na “muié” do Lula não é uma forma para resolver o problema na linha que estamos considerando”, comentou Mendes, que arrancou risos de todos os participantes do programa. 

No último bloco, o entrevistado, que também é reitor da Universidade Candido Mendes, enfocou a área da educação ao opinar sobre a questão das cotas raciais nas universidades públicas do país. Segundo o professor, o negro não se diz negro dentro das universidades. “Tem gente que prefere não ter cota a se assumir negro. O negro não se acha negro. As cotas deveriam ser sociais e cada vez menos raciais”, disse ao programa Roda Viva.

Uma ideia sobre “Acabou o fundo falso!

  1. jeremias bueno

    Cândido Mendes deu uma aula para os bobinhos (bobinhos não, mal intecionados!) que dizem que nunca houve na história deste país tanta corrupção. É que só agora uma pequena parte dela está visível aos caolhos.

    Tem gente que só enxerga corrupção quando lhe é conveniente. E depois reclama do povo, que “não sabe” votar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>