6:53Câmara Municipal tem dia de Parlamento

Do Goela de Ouro:

Quem estava lá garante que na sessão de ontem, véspera do feriado, a Câmara Municipal parecia até um parlamento. Isso porque o vereador Carlos Henrique Sá de Ferrante, o Caíque Ferrante (PRP) colocou em prática algo que vinha matutando há um tempo – e fez um discurso defendendo a criação de blocos suprapartidários, para que os partidos dediquem maior atenção aos interesses da população e menos aos interesses políticos. Criticou, ainda, o excesso de homenagens e nominação de ruas ao revelar que 350 nomes deles estão entupindo a lista da Prefeitura, que tem menos de 90 ruas para nomear. Ferrante não questionou as homenagens, apenas defendeu a diminuição do  número de propostas que cabe a cada vereador – hoje são 24 por ano para cada um. Segundo ele, se for cumprido este volume, dá quase 1.000 nomes por ano, e não tem tanta rua, praça ou escola para nominar. Fez mais o vereador: colocou o dedo na ferida das CPI´s, lembrando que elas devem ir até o final - e analisadas pelo critério técnico e não político-partidários. Em meio ao terremoto, Ferrante cutucou: “O vereador é o elemento legislativo mais próximo do eleitor, e cabe a ele ajudar a limpar a barra dos legisladores de todas as esferas “. Que estão prá lá de sujos, diga-se de passagem. Para encerrar, disse que Legislativo municipal deve ter mais iniciativa de ações, não ficando a reboque do Executivo, e que seu papel é o de fiscalizar. “Sim, temos que fiscalizar e atuar”, reforçou. A grita foi geral. A turma da oposição apoiou e, claro, houve o esperneio dos que não querem mudar nada. A Câmara parecia mesmo um parlamento!

3 ideias sobre “Câmara Municipal tem dia de Parlamento

  1. Zé Mané

    Não acredidto que isso aconteceu. Verdade? Mas o Caique não é da base do prefeito e foi eleito pela coligação PPS/PRP que arrumou votos para o atual alcaíde? Então por que essa mudança repentina de postura? O que houve? Será que vai militar na oposição? Ou quer mais atenção da situação? Hum, hum hum hum!

  2. João Cardoso.

    Caique vá em frente, além do ensaio de arremedo libertário feito pela vereadora Bueno do voto limpo. Não pare siga em frente e mostre aos demais vereadores que a Constituição registra a independência dos poderes, e não a – dependência – tal qual hoje se encontra a câmara de Curitiba. Ser base do prefeito Beto, não signiica compactuar com os escândalos da sáude, do gafanhotismo, das empreiteiras, das licitações faciliatada por advogados, e outroas confusões administrativas no ISS e no IPTU.

  3. jeremias bueno

    Zé Mané, talvez Caique seja um conservador esclarecido.

    Ninguém precisa ser oposição ao Prefeito para perceber que a Câmara de Curitiba não se faz respeitar pela população.

    Mesmo o mais direitão dos curitibanos percebe que é uma vergonha esse festival de denominação de logradouros e de homenagens a tudo quanto é caboclo da urbe. Isso até desmerece os próprios homenageados…

    Como diria Claudio Lembo, do PFL: “sou conservador mas não sou burro!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>