1:55Futuro do passado

Um historiador do Centro Cívico acha que o sonho do senador Alvaro Dias (PSDB) é tentar repetir, para a eleição de 2010, o que fez em 1986, quando praticamente foi candidato único ao governo do Estado, apesar de ter como adversário Alencar Furtado, mas este sob uma legenda sem expressão. Naquela época, como agora, Dias, então no PMDB, conversou até com o PDS, sucessor da Arena. Hoje ele sonha em ter o apoio de Beto Richa, Osmar Dias (PDT) e Roberto Requião (PMDB). Falta apenas combinar com todos eles.

7 ideias sobre “Futuro do passado

  1. SYLVIO SEBASTIANI

    Historiador do Centro Civico, não conhece nada da História. O Alencar Furtado teve apopio do PDT, do PFL e outros partido, além disso de Ney Braga, Jaime Lerner, Fabiano Braga Cortes e todos da Côrte. Você usando o titulo de Historiador, desmoraliza os Historiadores do Paraná, não faça isso, dê outro sinônimo.

  2. jeremias bueno

    Menos.
    Em 1986 Álvaro já estava no PMDB, pois nem havia mais o MDB.
    Alencar Furtado não era um candidato fraco, apesar de estar num pseudo partido. Possuia muito prestígio popular e tinha como candidato a vice o Sr. Jaime Lerner, de inegável peso político.

  3. Tarquinio

    Bem lembrado, nota corretíssima. Álvaro namorou com o pessoal do PFL – antiga Arena – a candidatura única. A articulação não foi adiante, mas no final foi quase a mesma coisa.
    De fato, Alencar teve o apoio do PFL e do PDT, que emprestou Jaime Lerner como vice.
    Mas o grupo mais parecia um exército brancaleone, tal sua fragilidade. O Lerner entrou meio envergonhado, sem nenhuma convicção.
    O Alencar tinha muita credibilidade, que jogou pela janela ao aceitar uma composição com o time do Ney, quase todo ele ligado ao regime militar, que o Alencar combatera a vida inteira, inclusive como o último cassado da ditadura, em 1977, pelo general-presidente Geisel.
    Alencar queria ser o candidato do PMDB, mas o Álvaro tinha ampla maioria no partido. Alencar saiu do partido para disputar o governo pela oposição. uma jogada que precipitou sua aposentadoria política.

    é isso.

  4. SYLVIO SEBASTIANI

    Tarquinio, certíssimo, foi o que ocorreu naquele ano de 1986.Tanto que logo após a eleição o Alencar foi para Brasilia, não voltando para morar mais em Curitiba, vendendo seu pequeno apartamento no Cajurú. Retornou em 1994 para ser candidato à deputado federal pelo PTB, mas não foi eleito.Apareceu depois no lançamento de seu livro, na Livraria Curitiba, quando tiramos uma foto juntos.

  5. SYLVIO SEBASTIANI

    O livro de Alencar Furtado com o titulo: “A Poseira e o Doutror”, foi lançado em 1998, quando recebi a honrosa dedicatória: “Para o escritor, companheiro valoroso, lutador e Lider do Velho e Glorioso MDB, Sylvio Sebastiani, um abraço amigo do admirador, Alencar Furtado”. Estava faltando isso para complementar.

  6. Tarquinio

    O Silvio é a história viva da política paranaense. Nos últimos 50 anos ele testemunhou quase tudo de importante que passou por aí.
    Parte disso ele já deixou registrado em seu livro do antigo MDB. Mas – com o perdão da insolência – acho que o Sílvio ainda está em dívida conosco: ele nos deve um depoimento , impresso em livro, com suas memórias e, se possível, com alguns dos muitos documentos que ele colecionou ao longo do tempo.
    aquele abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>