9:18Bicho gente

Guaraqueçaba tem um hospital público. A única ambulância que ali existe está quebrada. Se alguém ficar doente nos grotões do município e precisar de transporte, morre. Se houver necessidade de transferência de paciente para  Paranaguá, distante 80 quilômetros em estrada de terra, empacota – a não ser que alguém empreste um carro ou barco. O hospital recebe a astronômica verba mensal de R$ 20 mil dos governos do Estado e Federal. A prefeitura é tão pobre quanto os habitantes deste município encravado na exuberante e protegida Mata Atlântica. Diversas Ongs que atuam na região recebem rios de dinheiro para proteger, por exemplo, o papagaio de peito roxo. Nada contra. Gente é outra espécie de bicho.

5 ideias sobre “Bicho gente

  1. Olhar de lince

    Isso se chama incompetência, má vontade e descaso com a população. Do governo federal, estadual e municipal, que na hora de cobrar impostos são muito eficientes. O prefeito do município – que foi eleito para defender os interesses da comunidade – deveria fazer a sua parte: BOTAR A BOCA NO TROMBONE. E não ficar na moita fazendo o joguinho político deste ou daquele.
    É uma vergonha!

  2. Oportunismo

    Quem de fato conhece a bela Guaraqueçaba sabe o que digo, quem ainda não foi a esta cidade privilegiada pela natureza pode ir lá e constatar in loco. O rei do nepotismo, em sua campanha para reeleição, prometeu mundos e fundos para a população, pobre em sua maioria e, ao seu melhor estilo “abaixa ou acaba”, fez o mesmo pelo lado de Guaraqueçaba. Prometeu entregar no final de 2006 um novo hospital na cidade. Reeleito, como lhe é peculiar, “esqueceu” suas promessas eleitorais, esqueceu Guaraqueçaba. “Dane-se” o povo, quero garantir o meu e o da minha família nepote. Iniciou a construção do hospital, “inaugurou” o esqueleto, batizou com o nome de seu pai (que ninguém em Guaraqueçaba nunca ouviu falar, aliás, nunca ninguém soube se o mesmo esteve alguma vez na vida por lá). Está lá, na fachada do prédio abandonado, para qualquer um ver e certificar o que aqui está escrito! Ora, município de pequeno porte, proibido pela legislação ambiental de instalar indústrias, é claro que a receita municipal fiscal é pequena. O que diz o rei do nepotismo? Que o hospital está “pronto”. Pronto uma banana para esse mentiroso canalha! Falta licitar a conclusão da obra. Esses dias teve licitação. Aí o maria louca se nega a homologar simplesmente porque ele suspeita de “algum arranjo” na licitação, isso sem provar nada, no melhor estilo bravateiro populista de sempre, sua desculpa para não concluir a obra civil é sempres a mesma, “culpa das empreiteiras”. Só que tem mais mentiras. Quando concluir a obra civil faltará licitar equipamentos. Quando instalarem os equipamentos vai faltar pessoal, médicos, enfermeiros, atendentes, etc. A obra é de responsabilidade do governo do Estado. Em suma, no governo deste medícore governador sem obras o hospital de Gauraqueçaba não será concluido, pode escrever. Para o rei do nepotismo o que importa é o seu, a sua parte no butim, o emprego da família nepote, isso é o que interessa, o resto dane-se. Duvido que isto mude até 31 de dezembro de 2010, mas o fim está próximo para este governo medíocre, sem obras. Mas também tem a questão das tais das ONG’S, esta aberração jurídica. Somente as ong’s “gostam” de Guaraqueçaba, de quem a exploram, tiram o seu, tal qual um gigolô. A população é que não gosta das ongs, sabe que é explorado e usado por elas. Não adiata aquele papo furado e ensaiado delas, é tudo mesma coisa, só explorar a população sem dar nenhum retorno a elas. O único hospital de Guaraqueçaba é o Hospital Brigadeiro Eppinghaus, que foi construído por este militar com doações, sem nenhum recurso público. Este único hospital é administrado pela prefeitura municipal, com ajuda das freiras missionárias católicas e nada do governo do Estado do Paraná. É bom esclarecer que o município dispõe de um barco “ambulancha” para remoção de doentes, que está funcionando normalmente, e que foi recebida em “doação” pela Petrobrás após os derrames de óleo na baia de Paranaguá e Guaraqueçaba. As ambulâncias automóveis, devido ao seu uso frequente, “se acabam” na estrada esburacadas e muitas vezes instransponívies devido a péssima manutenção da PR 405, rodovia estadual; quem já passou por ela sabe o que estou falando. Aliás, esta rodovia foi construída pelo último governador que deu atenção ao município de Guaraqueçaba, o Sr. Paulo Pimentel, que inaugurou a PR 405 em 20 de dezembro de 1970. O resto só prometeu, enganou o povo. O rei do nepotismo nada fez pela cidade em seus 3 medíocres mandatos além de dar alguma esmola, mandar obras com licitações já marcadas, sem ao menos ouvir a opinião dos munícipes sobre suas reais necessidades. O bravaterio chefe do executivo deveria ter vergonha de colocar os pés por lá. Mas isto já está acabando este governo medíocre com um governador medíocre, bravateiro. O fim está próximo, faltam poucos dias para o final de uma era “medieval”, fim da era bravata, da era nepotismo, da era melhor secretário disso, melhor adminsitrador de porto daquilo, e por aí a fora. Em breve o fim do estado policial no Paraná, em breve um novo tempo, novos e leves ares para os paranaenses, o passado será um pesadelo a ser equecido! Viva Guaraqueçaba, viva o Paraná, abaixo o rei do nepotismo!

  3. masedai

    Abaixo aos políticos profissionais.

    Reguião é uma farsa, um engodo.

    Todo político se sente superior, como um monarca inescrupuloso.

    Esses que têm pais políticos ou tiveram também são muito ruins, pois acho que assim como na monarquia, o poder deve-lhe correr nas veias de forma vitalícia.

    Acho que políticos não podiam ser remunerados, além de haver muito mais transparência para com suas atitudes de governo, que muitas vezes tem em seus decretos, leis, assinaturas uma intenção nada nobre e muito menos coletiva.

    Abaixo aos polítcos de carreira, abaixo ao políticos chegados nas “carreiras”, abaixo aos nepotes, abaixo aos filhos de políticos vivos ou mortos que se sentem superiores só por esta condição.

  4. jango

    Com razão blogueiros ! O esquecimento de Guaraqueçaba não é de hoje, como aliás, vai dali até Adrianópolis uma região do Estado esquecida pelos vários governos. Certamente as campanhas eleitorais são o único momento em que aparecem salvadores da pátria naquelas paragens, para depois sumirem do mapa até a próxma eleição. Então entrem no Google Earth e vejam o que está acontecendo às margens das estradas que vão de Guaraqueçaba a Antonina. Só devastação e nenhum benefício à região e seus habitantes. Precisamos de gestores na administração pública e não gastadores de saliva e dinheiro público em viagens a Dubai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>