8:09O mistério do bracelete

Marcelo Motta, no site da Revista Capital (www.revistacapital.com.br) publicou a seguinte nota cifrada: “Como diria o Tutty Vasquez, só se fala nisso, da Rua dos Funcionários a Cascavel, passando pela Cidade Industrial e pelo Cangüiri: como é que, no espaço de algumas dezenas de quadras, um bracelete comprado por R$ 100 mil acabou sendo reembolsado por R$ 260 mil? Vai ver, o precioso mimo conta com estrada USB. Né, não?” Juntando lé com cré, um sherlock do Centro Cívico chegou a um sobrenome, mas só dá as iniciais, seguindo o exemplo do governador: Formighieri. O mistério continua, e pode ser tudo e pode ser nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>