3:03O contra-ataque dos promotores

Pelo jeito o Ministério Público resolveu peitar o governador Roberto Requião. Informou ontem no início da noite que, a partir das denúncias do governador, contra os promotores que estariam recebendo aposentadoria irregularmente, vai investigar toda a ParanaPrevidência. No Interior do Brasil isso é chamado de “tática do revorteio”, ou seja, aproveita o movimento agressivo de quem ataca para dar-lhe uma chapuletada que tem o dobro do impacto.“É de total interesse do Ministério Público do Paraná verificar se há qualquer tipo de ilegalidade na concessão de aposentadorias pelo Paranaprevidência. Vamos buscar a apuração de todos os fatos, de forma séria e responsável”, afirmou em seu estilo burocrático o procurador-geral de Justiça, Milton Riquelme de Macedo. Segundo a nota oficial distribuída pela assessoria do Ministério Público, Riquelme entendeu que “como as notícias de irregularidades trazidas pelo Executivo estadual são graves, o Conselho entendeu ser necessária uma apuração ampla e abrangente, que atinja a todo o sistema de aposentadorias do Paranaprevidência.” Resumo: é uma ameaça no mesmo tom que o governador fez ao soletrar as iniciais dos nomes dos promotores aposentados que estariam recebendo irregularmente. A nota informa que o Conselho do Ministério Público já tinha solicitado a investigação no dia 29 de agosto. Àquela altura, aliás, a informação de que Requião iria atacar era de conhecimento de muita gente. Segundo o Ministério Público, o fato de o governador ter afirmado que o sistema pode quebrar em pouco tempo também motivou a decisão para a investigação de todas as aposentadorias. Como foi informado aqui, o que o governador disse é balela, factóide, jogo para a torcida. Agora, se os promotores vão mesmo para cima do sistema previdenciário, com certeza sabem que algo há nele que pode atingir o governo Requião. A conferir.  

Uma ideia sobre “O contra-ataque dos promotores

  1. Edmond Dantes

    Que maravilha!!! Finalmente o Ministério Público começa a se mostrar. Na lista de suas preocupações em último lugar vem a defesa dos interesses da sociedade e a fiscalização do cumprimento da Lei. Ele só exerce esta função na medida em que isto trás boa mídia e benefícios para a corporação, caso contrário permanece inerte. Agora, depois de quase dez anos da criação da Paraná Previdência eles ficaram sabendo que o Estado não repassa os recursos para Empresa na exata medida que a Lei estabelece. O Ministério Público e o Requião sofrem da “síndrome de Lula”: eles nunca sabem de nada. Já afirmei aqui e volto a dizer: o MP é a mais corporativista das instituições públicas brasileira. Só a fiscalização do Conselho Nacional do Ministério Público – CNMP não é suficiente para enquadrar este pessoal. O Brasil precisa, urgentemente, rever os limites da autonomia dada a este órgão do Poder Executivo, que tem o disparate de afirmar que não pertence a Poder algum, negando a tripartição de Poderes do Estado brasileiro inscrita na nossa Constituição. Com esta catilinária eles conseguiram incutir nas cabeças de “jornalistas” e do povo em geral, que são um outro Poder. O pior, é que até autoridades públicas acreditam nisto. Pode?!

  2. Ana Karenina

    Na briga de “comadres” dos poderes quem ganha é o povo, pois a sujeirada vem à tona. Tomara que brigas produtivas como essa se multipliquem mais e mais no município, no estado e no país.

  3. carlos

    Menos, Ana. Infelizmente. Tanto uma como a outra comadre estão muitíssimo preocupadas com os seus interesses particulares e corporativos. Não tem nada de produtivo nessa briga. A não ser aumento da audiência dos noticiários. Estão ambas jogando para a torcida. O povo é só um detalhe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>