7:07Unidos pela tragédia

A indicação do secretário de Estado Luis Mussi para o Conselho Regional do Sesi causou uma situação constrangedora na instituição. Uma funcionária graduada pediu para sair assim que soube do nome do escolhido pelo governador Roberto Requião. É que ela é mãe de um dos três adolescentes que morreram pisoteados na entrada do Jockey Club em meados de 2003 durante o show de rock “Unidos pela Paz”. Na ocasião, também houve vários feridos que compraram ingressos e não conseguiram entrar no local onde se apresentaram, entre outros, os grupos Raimundos e Charlie Brown Jr. Luis Mussi era presidente do Jockey Club. Seu filho, Luis Fernando Mussi Jr. foi acusado de ser o verdadeiro promotor do evento, mas negou tudo na polícia e no Ministério Público. Disse apenas que era amigo de Athayde de Oliveira Neto, dono da empresa JRS, oficialmente a promotora do evento. Segundo depoimentos colhidos pela Polícia Civil, 21 mil ingressos foram vendidos e mais 4 mil distribuídos. O local comportava, com segurança, oito mil pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>